Política


Pregão para serviço de buffet da ALE ganha repercussão nacional

Menu conta com lagosta, picanha, coquetel de camarão com uvas

92744e_4d5132905cb54c1c92a3b25f5e755007-mv2

A Assembleia Legislativa de Alagoas parece ter se ‘inspirado’ na polêmica licitação que previa a compra de alimentos de alto padrão para o avião do presidente Michel Temer (PMDB), orçado em R$ 1,7 milhão. A sede do poder legislativo alagoano publicou aviso de licitação, na modalidade pregão presencial, para contratar serviço de buffet durante o ano. O chamamento foi publica na edição do dia 14 de dezembro de 2016.

Até aí, tudo dentro da normalidade. O que chamou a atenção, no entanto, foram os itens constantes do cardápio: lagosta, coquetel de camarão com uvas, picanha na chapa e casquinha de siri, crustáceos e mariscos típicos do Estado, oito tipos de pães, frios, pão de queijo, biscoito, rosquinha húngara, croissant, casadinho e tortas. As informações constam na edição de hoje do jornal O Estado de S. Paulo. O pregão prevê dois tipos de serviço, dois tipos de café da manhã e dois tipos de jantar, para 500 e mil pessoas, sem repetição de itens em caso de contratação por dias consecutivos.

 “A realização de certame licitatório para futura e eventual contratação visa a atender, quando necessário, aos participantes de eventos institucionais, promovidas pela Assembleia Legislativa de Alagoas, onde a mesma constitui-se, além de uma necessidade, em uma comodidade para atendimento de situações de última hora, em que, costumeiramente tem-se que enfrentar questões logísticas organizacionais e de suprimentos que um buffet atende com mais agilidade e correção”, diz o termo de referência da licitação.

De acordo com a tomada de preço, o buffet deverá disponibilizar ‘serviço de garçom, gerente de buffet, para o fornecimento de cafés da manhã, almoços, jantares, coffee break, brunch, coquetéis’ e, proporcional ao número de participantes do evento, ‘bandejas de inox ou prata, travessas, jarras térmicas, louças, copos de vidro ou acrílico descartável, toalha de tecido, talheres de metal e guardanapos de papel de primeira qualidade, guardanapos de tecido de material’.

“Quando solicitado o fornecimento, a empresa beneficiária deverá providenciar o buffet de acordo com os tipos de cardápio discriminados pelo órgão na ata de registro de preços”, estabelece a Assembleia.

Nota da ALE

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa de Alagoas determinou o cancelamento da adesão à ata de registro de preços de serviços de buffet. O processo, ao chegar ao gabinete do presidente Luiz Dantas para homologação, foi devolvido à Divisão de Licitação.

A decisão é a de reabrir novo processo, no sentido de que a lista de itens esteja compatível com o que vem sendo praticado, sem ostentação e de forma singela, como ocorrem em ocasiões solenes.

“Esse serviço não foi homologado e muito menos contratado. Daí  a determinação de refazê-lo, excluindo da lista os itens considerados supérfluos e que jamais foram requisitados pela atual gestão, em eventuais solenidades públicas”, explicou o deputado Isnaldo Bulhões (PMDB), primeiro secretário da Mesa Diretora.

“A Casa nunca requisitou esses itens destacados pela imprensa nacional. Por isso, o contrato não prosperou e a  adesão ocorrerá nos limites do que vem sendo praticado, de maneira austera”, completou o parlamentar.


3Comentários

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>