Sertão


Animais silvestres são monitorados na rodovia BR-316

Cobras, cachorros-do-mato e outros bichos foram encontrados durante o monitoramento.

AssessoriaMonitoramento de animais

Monitoramento de animais

A Caatinga é um bioma exclusivamente brasileiro e sua fauna e flora são bem ricas em diversidade, apesar de não parecer quando a vegetação encara o típico período de seca. Sabendo disso, o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) realiza na implantação e pavimentação da BR-316/AL o monitoramento dos animais silvestres que trafegam próximo da rodovia, que encontra-se em obra nos Lotes 1 e 2, que cortam os municípios alagoanos de Mata Grande e Canapi.

Durante dez dias do mês de setembro, como parte da 4ª campanha do Subprograma de Monitoramento de Passagem de Fauna, foram implantadas armadilhas fotográficas nos trechos que totalizam 47,76 km. O objetivo é observar se as pontes e bueiros construídos na rodovia estão cumprindo com o papel secundário de transposição segura dos animais silvestres.

As modernas câmeras instaladas têm sensores de movimento e de infravermelho – recurso que possibilita a captação da imagem durante à noite. Este tipo de monitoramento, que é complementar e oferece dados precisos da rotina dos bichos, soma forças a outras duas metodologias chamadas de ‘busca ativa’ (procura visual de vestígios, como pegadas, pêlos, fezes e outros) e de ‘parcela de areia’ (levantamento feito em locais onde os animais trafegam e registram suas pegadas no chão).

AssessoriaMonitoramento de animais silvestres

Monitoramento de animais silvestres

“Se os animais utilizam as galerias eles não ficam suscetíveis ao atropelamento. Por isso a importância de acompanhar se os bueiros e pontes estão sendo utilizados pelos bichos para que, juntamente com dados de atropelamento de fauna, seja diagnosticada a necessidade da criação de novas passagens”, ressalta o biólogo Igor Andrade, que integra a equipe da Gestão Ambiental da BR-316/AL, executada pela Universidade Federal de Viçosa (UFV).

Recentemente, um cachorro-do-mato (Cerdocyon thous), provavelmente em busca de alimento, foi flagrado pelas câmeras do monitoramento. Por ser um bicho comum na região, ele foi escolhido para ser o mascote da obra dos Lotes 1 e 2 da BR-316/AL. Em campanhas anteriores, a equipe também já encontrou outras espécies, como guaxinim (Procyon cancrivorus), gato-do-mato (Leopardus tigrinus), jararaca-da-seca (Bothrops erythromelas) e Teiú (Salvator merianae).

A obra da BR-316/AL é executada com o acompanhamento da Gestão Ambiental da BR-316/AL, seguindo, assim, os preceitos da Política Ambiental do Ministério dos Transportes e do Termo de Cooperação, firmado com o DNIT, além de ser uma medida de compensação exigida pelo licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA).

Fonte: Assessoria

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>