Economia


Número de endividados continua caindo em Maceió

O momento é propício aos empresários a fim de atrair os consumidores para as compras de final de ano

A Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) de Maceió aponta para uma redução de 3,46% no total de endividados. O levantamento realizado pelo Instituto Fecomércio, em parceria com a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), indica que a inadimplência registrou uma queda ainda maior, 3,78%. Os dados são referentes ao mês de novembro. Esses resultados têm relação direta com a recuperação dos postos de trabalho.

De acordo com o assessor econômico da Fecomércio, Felippe Rocha, o mês de novembro registrou a menor taxa de total de endividados desde abril deste ano (62,4% da população de Maceió) e o menor nível de inadimplentes, desde janeiro deste ano (15,3%).

Para o economista, a redução do desemprego implica diretamente nesse resultado positivo. Em outubro, os dados do CAGED/MTE apontaram para a recuperação de 16.393 postos de trabalho, sendo o principal responsável à indústria de transformação, com saldo admissional de 13.971.Seguido pela agropecuária, com 1.671 empregos gerados eserviços, com 383 empregos. No que tange a contratação de temporários, o valor já é 261% superior quando comparado ao ano passado. O setor de Comércio e Serviços empregou, entre agosto e outubro, 264 funcionários temporários ante 73 no mesmo período do ano passado.

“Esses números causam alívio e apontam sinal de melhora nas vendas de fim de ano. Os dados do IBGE, em pesquisa de setembro, sobre o volume de vendas do comércio varejista de Alagoas, demonstram vendas4,4% superiorao longo do ano, quando comparamos com 2016”, explicou Felippe.

Em pesquisa recente, o Instituto Fecomércio apontou que entre as empresas que optaram por participar do Black Friday comercializando produtos com descontos, as vendas foram 60% superior em volume e faturamento quando comparamos com o ano passado.

O mutirão encabeçado pela Fecomércio, em novembro, com a Caixa Econômica Federal também contribuiu para aquecer as vendas no setor, pois o consumidor deixou de ficar negativado e voltou a consumir. “O empresário deve aproveitar essa oportunidade para oferecer ótimas opções para essa parcela da sociedade sem dívidas, que corresponde a 37,4% da população de Maceió, e daqueles que saíram da inadimplência ou estão pouco endividados para vender mais no período”, ressaltou.

O tipo de dívida mais comum entre os endividados continua sendo o cartão de crédito (81,2%). Seguido pelo carnê de loja (10%) e outras dívidas (6,9%). Quando perguntado se em sua residência possui algum familiar com dívida em atraso, 51,3% responderam que sim e 48,7% que não possuem.

Quando questionado aos inadimplentes se terá condições de sair da inadimplência em novembro, apenas 3,1% informaram que sairão integralmente; 45,5% conseguirão se livrar parcialmente e 47,7% permanecerão inadimplentes. O tempo da inadimplência média é de 71,5 dias.

Hoje, os consumidores da capital quando adquirem alguma dívida passam, em média, 5,5 meses comprometidos. “Isso significa que qualquer bem de consumo adquirido no Natal só trará fôlego ao bolso do consumidor em junho. E, já comprometem cerca de 29% da sua renda com dívidas”, pontuou Felippe.

As informações sobre a PEIC foram coletadas nos últimos dez dias de outubro na capital alagoana. Foram entrevistados 500 consumidores em diversos pontos do comércio da cidade.

Fonte: Fecomércio

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>