Campanha conscientiza passageiros sobre combate aos clandestinos

AssessoriaCampanha contra transporte clandestino

Campanha contra transporte clandestino

“Transporte Clandestino é ilegal, é perigoso.” é uma campanha do Sindicato das Empresas de Transporte Urbano de Passageiros – Sinturb. As ações começaram nesta terça-feira (20), e tem como foco mostrar aos passageiros de ônibus de Maceió os perigos do transporte clandestino. O que pode parecer mais fácil ou rápido, coloca em risco a vida.

Toni Melo, gerente do Sinturb, aponta os principais problemas do transporte clandestino. “Quem escolhe um transporte irregular, não sabe se o motorista possui habilitação, contribui com a exploração do trabalho infantil, já que em diversos casos flagramos crianças nesses veículos. Os motoristas não pagam impostos e também não garantem a chegada ao destino, seja por falta de manutenção dos veículos, imprudência e até ter o veículo parado em uma fiscalização da SMTT”.

As empresas de ônibus oferecem diversos benefícios importantes para os usuários de transporte, como meia passagem aos domingos, Cartão Bem Legal que facilita a passagem na catraca, assistência ao passageiro em casos de acidentes, além de cumprir a lei e oferecer gratuidade para idosos e manutenção dos veículos. Além de gerar mais de seis mil empregos na cidade.

Nos últimos quatro meses, 485 veículos foram flagrados fazendo o transporte irregular de passageiros na capital, sendo 383 veículos diferentes. Deste número, 20% são de carros comuns de placas cinza, já as vans complementares aparecem com 30%. O maior registro de clandestino é feito por veículos táxis credenciados, que de acordo com o Sinturb representa 50%.

Tabuleiro, Salvador Lyra, Benedito Bentes, Serraria, Rotary, Farol, Centro, Santa Amélia, Chã da Jaqueira, Trapiche, Mangabeiras e Ponta verde, são alguns dos bairros onde mais são registrados a ação dos clandestinos.

Em 2017 as empresas de ônibus tiveram uma queda de mais de meio milhão de passageiros, um total de 630 mil a menos. A categoria acredita que a maior parte deste público migrou para o transporte clandestino.

“A nossa campanha é uma forma de cobrar fiscalização dos órgãos competentes e fazer com que esses clandestinos não aumentem e nem se fixem no mercado. E consequentemente, que a gente consiga conscientizar o passageiro sobre os possíveis riscos e também diminua a perda de passageiros em Maceió”, destacou Toni.

Ações da Campanha

A partir desta terça-feira (20), o Sindicato espalharou pelas ruas de Maceió o material da campanha em outdoors, backbus e panfletagem.

Além disto, uma ação nos pontos de ônibus com atores foi realizada. Dentro de uma van supostamente clandestina eles conversaram com os passageiros sobre os perigos do transporte irregular.

O veículo saiu do Tabuleiro às 6h30 com destino o Centro de Maceió, escolhendo os pontos de maior incidência de clandestinos para realizar o ato.

Fonte: Assessoria

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *