Entidades promovem Abril Verde em defesa da segurança e saúde do trabalhador

TRT AlagoasAbril verde

O Movimento Abril Verde – campanha mundial que tem o objetivo de informar e sensibilizar sobre a importância da prevenção e da redução dos acidentes de trabalho – inicia sua programação nesta segunda-feira (2), a partir das 6h, com um Ato simbólico em memória às vitimas de acidentes de trabalho, na Praia de Pajuçara (em frente ao Hotel Ibis e ao restaurante Terraço). Os organizadores irão fincar centenas de cruzes na areia da praia para simbolizar as vítimas de acidente de trabalho no mundo.

Este ano, o 4º Seminário Abril Verde de Saúde e Segurança do Trabalho será realizado em Maceió e em duas cidades do interior do Estado. A primeira cidade a receber o evento será Coruripe, no dia 5, com palestras do advogado Cláudio Sandes sobre “Aspectos jurídicos dos acidentes de trabalho” e do coordenador de Produção Agrícola Sebastião Luiz Barbosa Guimarães com o tema “Gestão de segurança nas atividades agrícolas”. O seminário acontecerá das 8h às 12h, no Clube Manoel Duarte (Usina Coruripe) e será aberto a convidados.

Na manhã do dia 12 de abril, será a vez da cidade de Arapiraca receber o 4º Seminário Abril Verde de Saúde e Segurança do Trabalho. O evento acontecerá no auditório do Sesi e terá palestras do juiz do Trabalho Nilton Beltrão de Albuquerque Júnior, gestor do Programa Trabalho Seguro no Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT/AL), sobre “Desafios da segurança e saúde no ambiente de Trabalho” e do auditor-fiscal do Trabalho Cesar Fontoura Marques, sobre “Atuação do Ministério do Trabalho nos acidentes de trabalho”. O evento é aberto ao público, as inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo endereço http://eventos.trt19.jus.br ou nos sites das entidades parceiras.

Em Maceió, a programação do 4º Seminário Abril Verde de Saúde e Segurança do Trabalho acontece em duas etapas. No dia 20, no auditório da Casa da Indústria, o seminário será exclusivo para profissionais e empresários convidados. Na programação, palestras do engenheiro de segurança Alexandre Xavier Calzado sobre “Impactos do eSOCIAL em Segurança e saúde no trabalho ” e do auditor-fiscal do Trabalho Leandro Carvalho com o tema “Vale à pena burlar a lei?”.

Já no dia 26, o 4º Seminário será aberto para o público em geral, no auditório da Ademi (Av. Com. Gustavo Paiva, 2.789 – Edf. Norcon Empresarial), a partir das 14h. Na programação, palestra da médica psiquiatra do TRT/AL Renata Simplício sobre “Adoecimento mental relacionado ao trabalho” e do procurador do Trabalho Rafael Gazzaneo Junior sobre “A atuação do MPT no combate aos acidentes de trabalho em Alagoas”. As inscrições para o evento são gratuitas e podem ser feitas pelo endereço http://eventos.trt19.jus.br ou nos sites das entidades parceiras. Os participantes terão direito a certificado.

Exposição – No período de 16 a 30 de abril, o Movimento Abril Verde promove a exposição fotográfica “Trabalhadores”, a qual retrata as condições de trabalho em segmentos com grande incidência de irregularidades no ambiente laboral. As obras, de autoria de Geyson Magno, André Esquivel e Walter Firmo, foram extraídas dos livros “Trabalho” e “O Verso dos Trabalhadores”, publicados pelo Ministério Público do Trabalho (MPT).

No domingo, dia 29 de abril, será realizado um Plantão de Saúde na Rua Fechada da Ponta Verde, das 8h às 12h. Ao longo de todo o mês de abril, o Movimento Abril Verde realizará ações educativas e apresentações teatrais do Sesi em várias indústrias.

O Movimento é resultado de uma parceria entre a Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Alagoas (Ademi), Grupo Prevencionistas, Ministério Público do Trabalho (MPT), Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), Serviço Social dá Industria (Sesi), Serviço Social do Comércio (Sesc), Sindicato da Indústria da Construção do Estado de Alagoas (Sinduscon), Sindicato dos Técnicos de Segurança do Trabalho no Estado de Alagoas (Sintestal), Superintendência Regional do Trabalho (SRTb/AL) e Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região (TRT/AL). O Movimento ainda conta com o apoio da Usina Coruripe, Liga Acadêmica de Saúde do Trabalhador (Last) e Maceió Shopping.

Números – Acidentes de trabalho custaram mais de R$ 26 bilhões à Previdência Social entre 2012 e 2017, segundo dados do Ministério Público do Trabalho divulgados em fevereiro. Só em 2018, as despesas já somam quase R$ 800 milhões. Esse valor foi gasto no pagamento de auxílio-doença, aposentadoria por invalidez, pensão por morte e auxílio-acidente nesse período de 6 anos. Entre 2012 e 2017, foram 3,879 milhões de notificações de acidente de trabalho.

Ainda entre 2012 a 2017, os trabalhadores afastados por acidentes perderam 315 milhões de dias de trabalho. Os dados do MPT apontam uma queda de 7,6% no número de notificações de acidentes de trabalho com mortes em 2017, na comparação com 2016. Foram 2.156 notificações em 2016 e 1.992 em 2017. No período de 2012 a 2017 foram notificadas 15 mil mortes por acidente de trabalho.

Apesar dos dados alarmantes, a estimativa é de que o número de acidentes de trabalho seja ainda maior, já que há uma subnotificação por parte das empresas, que faria com que mais de 50% dos acidentes não sejam notificados oficialmente.

Mais números (Anuário Estatístico da Previdência Social de 2016)

ACIDENTES DE TRABALHO/2016
Brasil: 578.935
Nordeste: 68.838
Alagoas: 4.425

DESTE TOTAL DE ACIDENTE DE TRABALHO, QUANTOS SÃO ADOECIMENTOS?
Brasil: 12.502
Nordeste: 2.314
Alagoas: 91

SETORES QUE MAIS ACIDENTARAM*
Brasil:
Saúde e serviços sociais = 54.384
Comércio e reparação de veículos automotores = 48.934
Ind Produtos alimentícios e bebidas = 32.339
Transporte, armazenagem e correios = 30.893
Construção = 25.493

*exclui trajeto e doenças

ÓBITOS

Desde 2012, foram cerca de 15.000 acidentes de trabalho fatais, o que dá cerca de 2.500 óbitos por ano. Dá quase 7 acidentes fatais por dia. Uma média de 1 óbito a cada 3h e meia.

Algumas comparações:

1)
Mortes por dengue, zika e chikungunya em 2016: 794
Mortes por acidente de trabalho em 2016: cerca de 2.500

2)
Estima-se que o país perde cerca de 264 bilhões de reais por ano com acidentes de trabalho, segundo estudo do MPT. É mais do que todo o valor liberado pelo Governo para o PAC no período 2015-2017, que foi de R$ 226 bilhões.

Fonte: TRT/AL

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *