Justiça


CNJ absolve Washington Luiz da acusação de favorecimento de Cristiano Matheus

Por unanimidade, o desembargador de Alagoas Washington Luiz Damasceno Freitas foi absolvido pelo CNJ em ação disciplinar.FOTO:Gil Ferreira/Agência CNJ

Por unanimidade, o desembargador de Alagoas Washington Luiz Damasceno Freitas foi absolvido pelo CNJ em ação disciplinar.FOTO:Gil Ferreira/Agência CNJ

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu, por unanimidade, absolver o desembargador afastado Washington Luiz Damasceno Freitas da acusação de favorecimento ao ex-prefeito de Marechal Deodoro, Cristiano Matheus.

O Processo Administrativo Disciplinar (PAD) foi instaurado no ano 2015 pela Corregedoria Nacional de Justiça para apurar se o desembargador, presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas na época, havia cometido uma infração disciplinar por uma suposta ‘ligação criminosa’ com seu ex-genro, Cristiano Matheus.

Cristiano Matheus foi denunciado ao TJ/AL por suposto desvio de R$1,3 milhões em um esquema de fraude de licitações entre os anos de 2009 a 2013. A reclamação disciplinar explica que as investigações da Polícia Federal sugeriam uma possível tentativa de paralisação do processo por influência do desembargador. Cristiano Matheus costumava afirmar que era “blindado” pelo ex-sogro.

Após a suspeita, a Corregedoria Nacional de Justiça instaurou a Reclamação Disciplinar, que acabou afastando o desembargador do cargo de presidente do TJ/AL no ano de 2016.

Nesta terça-feira, 24, o processo entrou na pauta do CNJ e o relator, o conselheiro Arnaldo Hossepian, votou pela absolvição do desembargador  Washington Luiz. Os demais conselheiros acompanharam o voto do relator.

Para justificar a decisão, Arnaldo Hossepian considerou que, após a oitiva de testemunhas, nada do que foi apontado na fase inquisitorial do processo se revelou procedente. Ou seja: não ficou provada a conduta irregular do desembargador.

Além disso, o processo criminal contra o ex-prefeito tramitou de maneira adequada e nunca houve o pedido de prisão do prefeito, mas de afastamento dele do cargo”, diz o conselheiro, cujo voto, pela absolvição do desembargador, foi seguido por unanimidade.Washington Damasceno.

Máfia da merenda

Existe outro processo Administrativo Disciplinar (PAD) em tramitação no CNJ, proposto contra o desembargador Washington Luiz Damasceno Freitas. O processo trata de suposto envolvimento do magistrado em um cartel de merenda escolar com atuação em Alagoas, Rio Grande do Sul e São Paulo. Em julgamento realizado na 33ª Sessão Virtual do CNJ, ocorrida no dia 20 de abril, o julgamento deste PAD, que está sob relatoria do conselheiro Aloysio Corrêa da Veiga, foi prorrogado.


2Comentários

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>