Caso Franciellen: 9ª Vara Criminal leva acusados a júri nesta quarta (23)

Réus teriam torturado e queimado viva a vítima, em crime motivado por ciúmes de Vanessa Ingrid em relação ao seu parceiro

Priscylla Régia/Alagoas24HorasVanessa Ingrid da Luz Souza

Vanessa Ingrid da Luz Souza

Atualizada às 14h, de 21 de maio de 2018.

O Tribunal do Júri leva a julgamento, nesta quarta-feira (23), Vanessa Ingrid da Luz Souza, Thiago Handerson Oliveira Santos, Saulo José Pacheco de Araújo, Victor Uchôa Cavalcanti e Nayara da Silva, acusados de torturar e queimar viva a jovem Franciellen Araújo Rocha, em 14 fevereiro de 2013. O júri popular acontecerá a partir das 8h, e será conduzido pelo juiz Geraldo Cavalcante Amorim.

De acordo com a denúncia, por volta das 19h30, no bairro Cruz das Almas, Franciellen Araújo foi espancada e torturada pelos acusados, com auxílio de menores de idade. Por volta das 22h, a jovem foi levada ao Condomínio Residencial Serra Mar, na Serraria, onde a vítima teve braços e pernas imobilizados por fitas adesivas e teria desmaiado após mais uma série de espancamentos, momento em que teve seu corpo coberto por gasolina e ateado fogo.

O crime teria sido motivado por causa de uma crise de ciúmes de Vanessa com relação ao seu parceiro, conhecido como Ninho do Zé Tenório, e então teria resolvido matar toda mulher que tivesse se envolvido ou se envolvesse com ele.

A ré Nayara da Silva será levada a julgamento exclusivamente pelo crime de tortura. Os outros quatro réus serão julgados pelos crime de tortura e homicídio.

Emboscada e tortura

Para dar início ao seu plano, Vanessa teria convidado amigos para uma festa em seu apartamento, prometendo fornecer bebidas e entorpecentes. Quando a festa começou, Vanessa questionou uma jovem sobre suposto relacionamento com seu o parceiro. A menor negou e apontou Franciellen como a pessoa que mantinha relacionamento com o companheiro de Vanessa.

Neste momento, Vanessa Ingrid ordenou então que a menor atraísse a vítima para o apartamento. Com a insistência da colega, Franciellen confirmou sua ida à festa com mais duas amigas. Na chegada, Thiago recepcionou a vítima com um murro no rosto, que caiu no chão e foi arrastada até o quarto onde se iniciou o espancamento por mais de duas horas, com murros, chutes, pancadas na cabeça, corte do cabelo com faca de mesa, queimaduras no rosto com pontas de cigarros, sobrancelhas raspadas e sufocamento com toalha molhada.

Ao final da festa, ainda segundo a denúncia, Vanessa teria dado R$ 10 reais para que as amigas de Franciellen fossem embora de táxi, ameaçadas para que não contassem nada a ninguém. Após esse momento, os acusados saíram no carro de Saulo, pararam para comprar gasolina, seguindo em direção ao conjunto José Tenório.

Os réus teriam entrado em uma estrada de barro deserta e lá forçaram Franciellen a descer do veículo, conduzindo-a por vários metros onde a sentaram no chão, momento em que Thiago e Victor a imobilizaram com fitas adesivas, nos braços e nas pernas. Em seguida, Vanessa Ingrid teria reiniciado as torturas, até a vítima desmaiar. Neste momento, Franciellen teve o seu corpo embebido em gasolina pelos acusados, e Venessa Ingrid teria ateado fogo.

Matéria referente aos processos nº 0001308-86.2013.8.02.0001

Fonte: TJAL

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações