Operação Placebo: 23 carretas de remédios apreendidas devem ser distribuídas em Alagoas

Gaesf

Um desdobramento da Operação Placebo deu conta que 23 carretas de remédios para diversos fins foram apreendidas em mandados de busca e apreensão expedidos durante a ação deflagrada pelo Ministério Público Estadual (MPE) de Alagoas em três estados, que visa desarticular uma organização criminosa especializada em corrupção de agentes públicos, falsificação de documentos e lavagem de bens. Segundo as informações, o grupo já teria causado um prejuízo de cerca de R$ 197 milhões.

A operação está em andamento desde a noite do último domingo (15) e, dos 10 mandados de prisão preventiva expedidos, oito foram cumpridos, sendo quatro em Maceió, incluindo a prisão de um auditor fiscal alagoano e quatro em Sergipe. Duas pessoas ainda estão foragidas.

Em entrevista coletiva, o promotor de justiça Cyro Blatter, coordenador do Grupo de Atuação Especial em Sonegação Fiscal e aos Crimes Contra a Ordem Tributária, Econômica e Conexos (Gaesf), esclareceu que as caixas de remédio apreendidas pertencem ao estado de Alagoas. “O que foi apreendido são, provavelmente, medicamentos que faltam nos hospitais e postos de saúde. Tratam-se de medicamentos que pertencem ao cidadão alagoano e a gente espera que seja distribuído para o povo”, disse.

Blatter afirma ainda que, se juntadas todas as caixas de medicamentos, o volume equivale a um edifício regular de quatro andares. Além das caixas de remédio, nove carros de luxo também foram apreendidos.

Quando perguntado sobre o andamento das investigações, que começaram há aproximadamente seis meses, o promotor afirmou que 90% do processo já está concluído, e aguarda também a liberação dos medicamentos por parte da 17ª Vara Criminal de Maceió, para que a distribuição possa ser feita para os cidadãos alagoanos.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações