Bolsonaro determina medidas de apoio a moradores do Pinheiro, em Maceió

Marcos Corrêa / PR

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) determinou nessa sexta-feira (11) que integrantes do governo federal tomem todas as medidas necessárias em apoio aos moradores do bairro do Pinheiro, em Maceió. A região vem sofrendo rachaduras em prédios e ruas. A origem do problema é desconhecida, mas tem motivado a desocupação de imóveis do bairro.

Leia também: Casas e prédios ficaram danificados após tremor de terra em Maceió;

Após chuva forte e trovões, moradores se assustam com tremor de terra em Maceió;

Defesa Civil decreta estado de emergência após rachaduras no Pinheiro;

Moradores do Pinheiro terão acompanhamento psicossocial

Bolsonaro se reuniu – em caráter extraordinário – com vários ministros, dentre eles Onyx Lorenzoni, da Casa Civil; general Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI); e Gustavo Bebianno, da Secretaria-Geral, para tratar do tema.

Ainda não foram anunciadas quais as medidas imediatas que serão tomadas para ajudar os moradores do bairro alagoano.

Confira a nota do Planalto na íntegra:

Nota à imprensa

A preocupante situação enfrentada por moradores do bairro de Pinheiros, em Maceió (AL), levou o Presidente Jair Bolsonaro a convocar, nesta sexta-feira (11) uma reunião extraordinária, em Brasília, com parte de sua equipe ministerial. 

A iniciativa do Presidente se deveu à sua apreensão com o surgimento de rachaduras, de origem ainda desconhecida, em ruas e imóveis, e que já provocaram a desocupação de algumas casas e edifícios.

O Presidente Bolsonaro, em apoio ao município de Maceió e ao estado de Alagoas, determinou que o Governo Federal adote as ações necessárias, para agilizar a identificação do fenômeno e que permitam subsidiar o adequado encaminhamento das medidas que couberem, para a resolução do problema.

A reunião contou com as presenças dos ministros da Casa Civil, Onyx Lorenzoni; do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto; de Minas e Energia, almirante Bento Albuquerque; da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva; do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno; e da Secretaria-Geral, Gustavo Bebianno.

Veja Mais

2 Comentários

  • Fábio says:

    A situação é muito pior do que se publicam. Podemos viver a maior catástrofe da história da nação. Moramos na área vermelha, de alto risco. O poder público deveria retirar imediatamente todos os moradores do bairro, e, principalmente, os do Mutange. Só Deus!! Estamos aterrorizados!!!

  • ROBERTO BRANDAO says:

    O CASO DO BAIRRO DO PINHEIRO É MUITO GRAVE. TRATA-SE DE UM DESASTRE DE GRANDES PROPORÇÕES NUNCA VISTO EM MACEIÓ. O GOVERNO FEDERAL TEM QUE SER MUITO RÁPIDO NAS SUAS AÇÕES.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações