MP dá prazo a plano de saúde para atender pacientes que denunciam descaso e erro médico

Cortesia

O Ministério Público Estadual, por meio da Promotoria de Justiça de Defesa do Consumidor da Capital, realizou uma audiência conciliatória – nesta quarta-feira, 23 – com a empresa Hapvida e três pacientes que acusam o plano de saúde de descaso e erro médico.

Durante a audiência, que foi conduzida pelo promotor de justiça Max Martins, as pacientes Estefânia Melo de Oliveira, Surhama Jayara Guedes da Silva e Clarice Maria da Silva relataram todo o sofrimento dentro das unidades hospitalares, da rede Hapvida, após descobrirem que são portadoras de endometriose.

Ao promotor, as pacientes disseram ainda que os pleitos seriam a disponibilização de médico especialista em endometriose para realização de novas cirurgias e o custeio de todo tratamento médico.

Há mais de um ano, Estefânia Melo peregrina em hospitais em decorrência da doença. Após passar por cinco procedimentos cirúrgicos, a operadora de telemarketing descobriu que agora precisará de um implante neuromodulador sacral após ter o nervo da bexiga lesionado em uma das cirurgias. “A minha luta no Ministério Público é para conseguir o implante neuromodulador sacral que o plano de saúde nunca me deu esta opção.  Na verdade, eles me disseram que eu tinha que me conformar com a nova vida de usar sonda. Já estou usando há seis meses por conta de um erro médico durante uma cirurgia no Hospital Maceió, do Hapvida, onde  lesionaram o nervo da minha bexiga. Além disso, tenho quadro de infecção constantemente, vivo à base de morfina para dor e fazendo o uso de antibióticos diariamente”, contou Estefânia.

Leia também: Pacientes com endometriose denunciam descaso de plano de saúde e erro médico

 

João Urtiga/Alagoas 24 Horas

Surhama Jayara já passou por seis cirurgias e agora sofre com problema renal por conta da endometriose persistente

As outras duas jovens, Clarice Maria e Surhama Jayara também vivem uma verdadeira via-crúcis para lidar com o descaso do plano de saúde. “Espero ter o tratamento digno porque são 7 anos que venho sofrendo. Conheci Estefânia e Clarice no hospital e as histórias se encaixam. A gente dorme com dor, acorda com dor,  vive na dor e eles nos tratam como viciadas em medicações. Só quero que o meu tratamento seja custeado pelo plano e realizado por um especialista em endometriose. Aqui no estado não existe profissional capacitado em endometriose. Só existem curiosos e não quero que mais um curioso me abra”, disse Surhama que já passou por seis cirurgias. 

Ao final da audiência, o plano de saúde se comprometeu a se manifestar sobre os três casos até a próxima sexta-feira, 25.

João Urtiga/Alagoas 24 Horas

Clarice Maria reclama de descaso do plano de saúde

 

 

 

 

Veja Mais

3 Comentários

  • Estefânia says:

    Mesmo com tudo isso e enfrente ao promotor o advogado do hapvida deixou claro que nao seria possível a cirurgia de reversão pq nao tem convenio com hospital português en recife e nao tem especialista que faca esse tipo de implante no hospital hapvida e.msm se tivesse em meio a um erro onde foi lesionado o nervo da minha bixiga nao confio mas fui aberta 5 vezes e eles nao acertaram ou melhor nao sabem o que faz brincam vok a vida

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações