Prefeito pernambucano ‘obriga’ servidores da prefeitura a irem a show da noiva

Reprodução/Instagram

Prefeito de Camaragibe, Demostenes Meira (PTB)

O prefeito de Camaragibe, no Grande Recife, Demóstenes Meira (PTB), exigiu que servidores comissionados da prefeitura participassem de um show de carnaval da noiva dele, Taty Dantas, que também é secretária municipal de Assistência Social da cidade. Em áudios que circulam nas redes sociais é possível ouvir o prefeito exigindo a participação dos servidores “para dar força ao evento”.

“Vou fazer um cordão de isolamento ao redor do trio só para ficarem os cargos comissionados. Então, por favor, divulguem e multipliquem. A gente vai filmar e eu vou contar quantos cargos comissionados foram”, afirma na gravação.

Meira explica nos áudios que sabe “que tem gente que não gosta de carnaval”, mas que a noiva dele iria cantar.

“Depois que ela cantar as músicas dela, está todo mundo liberado, mas eu quero todo mundo a partir de meio-dia”, diz.

O prefeito diz ainda que a estrutura da prefeitura será usada para apoiar o bloco:

“Já chamei 30 guardas municipais para fazer o cordão de isolamento por fora e o resto da equipe dos guardas municipais. São mais 200 homens espalhados no meio da multidão para evitar confusão, arma de fogo e droga”, afirmou.

Após a divulgação dos áudios, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) disse que vai investigar o Meira por possíveis práticas de improbidade administrativa.

O procurador-geral de Justiça Francisco Dirceu Barros determinou que a Assessoria Criminal do Gabinete da Procuradoria Geral de Justiça abra uma investigação para apurar se o prefeito cometeu crime de peculato (uso indevido de recursos públicos para patrocinar fins privados e pessoais). Como prefeitos possuem foro privilegiado, uma eventual responsabilização criminal ficará a cargo do procurador-geral.

Já em relação à prática de improbidade administrativa, o procurador-geral encaminhou o material à Promotoria de Justiça de Camaragibe. A promotora de Defesa do Patrimônio Público, Mariana Vila Nova, instaurou procedimento para investigar o caso.

O Extra entrou em contato com a Prefeitura de Camaragibe, mas ainda não obteve uma resposta. A prefeitura patrocinou o bloco Canário Elétrico, do secretário de Educação, Denivaldo Freire.

Fonte: Extra

Veja Mais

1 comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações