Vereadores vão ao Mutange e Bebedouro conferir indícios de problemas como os do Pinheiro

Ofício solicitando paralisação das atividades da Braskem dividiu opiniões entre os parlamentares em Plenário

Um grupo de vereadores fará uma visita na manhã desta quinta-feira (21) aos bairros de Bebedouro e Mutange para conferir “in loco” problemas estruturais que também atingem, a exemplo do Pinheiro, imóveis daquelas localidades. A decisão foi tomada na sessão ordinária desta quarta-feira (20) na Câmara Municipal de Maceió, depois que o vereador Francisco Sales (PPL) apresentou ofício para que a Casa de Mário Guimarães solicitasse a paralisação, de forma preventiva, dos trabalhos de extração da Salgema pela Braskem nos dois bairros.

De acordo com o ofício de Sales, a iniciativa não pretende criminalizar a empresa, mas preservar o solo nos bairros, que já está bastante afetado por fissuras e rachaduras. Contestado por vereadores contrários à medida, Sales propôs retirar o ofício de pauta se os parlamentares conferissem, pessoalmente, os problemas no Mutange e Bebedouro, inicialmente no PAM e na centenária Escola Nossa Senhora do Bom Conselho.

“Pedir a suspensão das atividades da Braskem sem laudo que justifique tal iniciativa é, me perdoem, irresponsabilidade. As próprias autoridades nunca se manifestaram no sentido de que a empresa paralisasse seus trabalhos no Mutange e Bebedouro. A Braskem gera 15 mil empregos diretos, 25 mil indiretos e representa a cadeia produtiva de Alagoas em 22%. Percentual que ultrapassa os 30% se tomarmos só a economia de Maceió. Se os trabalhos forem suspensos, a empresa fecha e muita gente vai para rua imediatamente. Não podemos criar um problema para resolver outro sem ter certeza de quem é a culpa”, declarou o vereador Chico Filho (Progressista), acrescentando que se houver uma prova sequer de responsabilidade da Braskem no problema que atinge o Pinheiro, ele mesmo subscreve pedido de prisão dos diretores da multinacional.

“Caso contrário, tenho que seguir discordando de vossa excelência, Francisco Sales, por quem tenho extremo respeito como pessoa e como parlamentar, mas voto contra ao seu requerimento”, disse o progressista. Chico Filho aprofundou a discussão, cobrando do Estado e do Município de Maceió cumprimento de determinação do CPRM – Serviço de Geologia do Brasil, que trabalha no Pinheiro.

“O CPRM fez oito recomendações de intervenção estrutural para o Pinheiro e, até agora, nem estado, nem município cumpriram sequer uma delas. Isso nós temos que cobrar do prefeito e do governador. As fissuras abertas continuam do mesmo jeito e a água pluvial já tem causado mais danos. Os geólogos não autorizam qualquer construtora a fazer o serviço porque é preciso que a empresa que venha reparar o dano seja especializada em geologia, e no Brasil só há três com esse perfil”, revelou Chico Filho, que teve seu posicionamento endossado por Samyr Malta (PSDC).

“Não é fácil tocar nesse assunto, mas é preciso ter responsabilidade. Não podemos dizer que Prefeitura e Estado estão fazendo nada também não é correto. A questão é a complexidade do problema e a população quer respostas efetivas ao drama que vivem. As pessoas não querem mais opinião, elas querem saber o que fazer e como será da vida delas. Pelo que sei, as respostas dos geólogos só devem ser dadas em junho. E até lá, se de fato houve chuva forte em Maceió, o que vamos fazer? Por isso não podemos assumir a responsabilidade de aprovar a paralisação do trabalho da Braskem, sem termos uma confirmação de que a culpa é realmente dela”, disse.

A cautela defendida por Chico Filho e Samyr Malta contou com o apoio dos vereadores Silvânia Barbosa (PRTB), Cléber Costa (PP) e Ronaldo Luz (MDB).

COMENDA – A ordem do dia desta terça-feira, votada no Plenário, teve iniciativas como do vereador Antônio Hollanda (MDB), que teve dois requerimentos aprovados para que a Casa homenageie a primeira-dama do estado, Renata Pereira Pires Calheiros, com a entrega de duas comendas, honrarias que se justificam, segundo os requerimentos, pelos relevantes serviços prestados por ela à cultura alagoana.

Já a vereadora Simone Andrade (DEM), teve requerimento aprovado, solicitando ao Executivo que proceda com saneamento básico, drenagem e pavimentação do Loteamento Desmembramento Palmares, no bairro Cidade Universitária. Por sua vez, Luciano Marinho (Podemos) é o responsável pela aprovação, também por meio de requerimento, de audiência pública para debater o Mercado da Produção. E Silvânia Barbosa solicitou à Prefeitura de Maceió a instalação de lombadas na Rua São João, na Levada.

Fonte: Ascom Câmara

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações