Polícia acha fuzis desmontados em casa que seria ligada a PM preso por morte de Marielle

Reprodução

Várias peças de armas foram encontradas em uma casa usada por Lessa

Em um dos endereços suspeitos de serem ligados ao policial militar reformado Ronnie Lessa, preso nesta terça-feira (12) pela execução da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes, agentes da Divisão de Homicídios da Polícia Civil encontraram grande quantidade de armas desmontadas, inclusive fuzis, além de munição.

“Dá para fazer muito fuzil”, diz um dos agentes que participa da ação.

Imagens obtidas pelo G1 mostram policiais abrindo muitas caixas, espalhadas em armários e em cômodos de uma casa no Méier, na Zona Norte do Rio. A polícia investiga se Lessa trafica armas e escondia lá o material.

Um homem que mora no local, identificado como Alexandre, diz que conhece Lessa desde pequeno e fala que não sabia o que havia nas caixas. Em alguns momentos, ele chora.

“Eu não fiz nada, esse cara me botou de bucha, cara (…) Eu não faço a menor ideia, está tudo lacrado, eu não abri, ele falou que ia vir buscar isso (…) Eu confiei nele. Acreditei nele. Foi criado com a gente, ele morava aqui do lado, desde pequeno”, diz aos policiais. “Ainda falou para mim: ‘Só não abre as caixas’.”
Até a última atualização desta reportagem, não havia sido informado se o homem que estava na residência foi preso.

Além de Lessa, policiais da Divisão de Homicídios e promotores do Ministério Público prenderam o ex-policial militar Élcio Vieira de Queiroz, de 46 anos. Segundo a denúncia, Lessa efetuou os disparos que atingiram Marielle e Anderson, e Élcio dirigiu o carro.

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações