Coach aplicado no sistema prisional muda perspectiva de vida de reeducandos

Seris

Documentário vai difundir trabalho executado no sistema prisional de AL

Há cerca de dois anos os reeducandos do Núcleo Ressocializador da Capital (NRC) tem sido impactados de uma forma diferente com o treinamento da mente através da neurociência aplicada ao coach. A parceria entre a Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social (Seris) e a coach Rita Diaz tem mudado a perspectiva de vida dos apenados e vai virar documentário, que será lançado no dia 31 de maio.

Através do projeto Produtiva Mente, os reeducandos estão sendo formados para atuarem como coach. A adesão à capacitação é voluntária, onde a metodologia consiste em palestras e atividades que estimulam a mente humana, além de técnicas para limpeza e reprogramação da mente.

Jadielson Barbosa tem 47 anos e cursa o 6º período de administração pela Unopar. O reeducando é um dos assistidos pela coach e destaca as principais mudanças percebidas. “Para mim, o maior diferencial que eu vi com o curso foi a maneira de relacionamento entre as pessoas e saber que existem outras oportunidades lá fora”, disse.

“Às vezes ficamos em um campo minado, fechado, e não conseguimos ter uma visão externa do mundo que as palestras de coach trazem e, com isso, ampliam nossa visão. A gente pode sair daqui com uma perspectiva melhor, até de atuação no mercado”, completou.

Formada pelo Instituto Brasileiro de Coach (IBC), Rita Diaz explica como o trabalho impacta a vida dos custodiados. “Esse trabalho é direcionado para mudar a configuração cerebral. Meu trabalho é para que eles entendam como a mente deles [reeducandos] trabalha e processa as informações e como pode colocar uma nova programação e mudar de vida”, afirma.

“Eu sempre tive muita vontade de mudar a mente das pessoas para que elas pudessem ter um futuro melhor. Tive a ideia de trabalhar no sistema prisional, pois aqui fora podemos ter acesso a tudo para mudar nossa vida, mas os reeducandos, no presídio, só têm a mente”, completa. “O desejo de fazer o coach baseado na neurociência dentro do sistema surgiu desse interesse, pois eu sempre tive em mente que um dia eles vão retornar a sociedade. O objetivo é contribuir para que voltem como pessoas melhores”, complementou Diaz.

“São essas oportunidades que recebemos aqui no Núcleo Ressocializador da Capital que trazem para nós mais preparo. Quando retornamos à sociedade não podemos dizer que não tivemos oportunidade, principalmente com o coach, que veio para tirar o estigma de que saímos daqui com as portas fechas, com pouca esperança. Através do treinamento de coach, estamos vendo que somos alguém, que somos capazes de vencer e abrir vários caminhos”, finalizou o reeducando Jadielson Barbosa.

NAS TELONAS

O documentário sobre o trabalho desenvolvido no sistema prisional será lançado em 31 de maio, no Cine Arte Pajuçara, às 20h. A iniciativa conta com o apoio da Secretaria de Ressocialização e Inclusão Social e Secretaria de Cultura.

“No filme será mostrado que, através do projeto Produtiva Mente e através da neurociência aplicada ao coach de uma forma clara e transparente, podemos ter os resultados que desejamos, ou seja, mudar a forma que esses reeducandos se vêem na sociedade e até mesmo no contexto prisional. O documentário mostra o início do nosso trabalho, as nossas palestras e o que eles [reeducandos] sentem de diferente no comportamento depois das aulas”, destaca Rita Diaz.

Fonte: Seris

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações