Professor preso acusado de tráfico diz ter sido vítima de armação política

O professor Luciano Gomes da Silva, 36 anos, preso nesta quarta (24) por militares da 5ª Cia Independente após ser flagrado com dois tabletes (170g) de substância semelhante à maconha dentro do seu veículo, que faz transporte de passageiros do Francês e Marechal Deodoro, afirmou em depoimento que foi vítima de uma armação política.

Em depoimento ao delegado Antonio Carlos Machado Costa, na Central de Flagrantes, para onde foi conduzido, o suspeito negou ser o dono da droga. Luo declarou, ainda, que não consome nenhum tipo de entorpecente e que atribui a sua prisão à sua atuação de oposição à atual gestão, além de ser pré-candidato a vereador pela cidade de Marechal Deodoro. Luo alega ter “plena convicção que armaram para prejudicar a sua imagem”.

O professor de Filosofia disse nunca ter sido processado, trabalhando atualmente como uber e que não é traficante nem usuário de drogas. A PM teria chegado a Luo após ser acionada pelo 17º DP, que investigava uma denúncia de tráfico.

A autoridade policial considerou que não sendo possível determinar se o suspeito estava traficando, decidiu autuá-lo por posse de drogas para consumo pessoal por meio de TCO, sendo liberado posteriormente, assim como seu veículo.

Veja Mais

1 comentário

  • Maria Eunice CERQUEIRA DE OLIVEIRA BARBOSA says:

    Eu não tenho dúvida que há possibilidade para essa versão ser verdadeira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações