Pesquisa revela insatisfação da população com serviços oferecidos pela Casal

Assessoria

Deputado Davi Maia

Quase metade da população de Maceió considera o serviço de abastecimento de água oferecido pela Companhia de Saneamento de Alagoas (Casal) péssimo, ruim ou regular. É o que mostra a pesquisa divulgada pelo deputado estadual Davi Maia (DEM) durante a sessão desta terça-feira (11), na Assembleia Legislativa de Alagoas.

O levantamento foi feito pelo instituto Datasensus, que entrevistou 1201 pessoas, com idades a partir de 16 anos, de todas as escolaridades em todas as regiões da capital, durante os dias de 2 e 3 de maio. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais.

A insatisfação da população aumenta nas regiões com menor poder aquisitivo, como Ponta Grossa, Levada, Trapiche da Barra e Prado. A pesquisa fez a pergunta: “Em uma escala de 0 a 5, de modo geral, qual nota você dá para os serviços de abastecimento de água prestados pela Casal?”.

De acordo com a pesquisa, 52,2% dos moradores da 2ª Região (Ponta Grossa, Levada, Trapiche e Prado) e 50,2% dos que vivem na 7ª Região (Clima Bom, Cidade Universitária, Santa Lúcia, Santos Dumont e Tabuleiro do Martins) deram notas entre 0 e 3, considerando como ruim ou péssimo o serviço de abastecimento. As duas regiões também tiveram a maior concentração de notas 0, com 12,5% na parte baixa e 10,4% na parte alta da cidade.

Outro ponto considerado na pesquisa foi o grau de satisfação em relação aos serviços de esgoto oferecido pela Casal. Nesse ponto, 42,8% da população respondeu como nota 0 ou 1 a pergunta: “Em uma escala de 0 a 5, de modo geral, qual nota você dá para os serviços de esgoto da Casal?”.

Novamente a pesquisa confirmou que a população de baixa renda é quem mais sofre com os serviços da empresa. Na 2ª Região e 7ª Região, 44,1% dos moradores deram nota 0 para o serviços de esgoto da empresa. Além disso, dos quem vivem na 4ª Região (Bebedouro, Bom Parto, Chã da Jaqueira, Fernão Velho, Petrópolis e Rio Novo), 34,1% também avaliaram como péssimo, dando nota 0.

O parlamentar também falou do novo aumento anunciado pela Casal, na última semana, de 6,22%. “De 2015 para cá, já somamos 66% de aumento. Aumento maior do que o gás de cozinha, que teve aumento de 52%, e a gasolina, de 55%. Se a Casal mantiver essa média de aumentos, em 15 anos, a conta ade água vai subir 198%, enquanto o salário mínimo subirá 99%. Eu tenho medo que daqui a pouco, o maceioense trabalhe só para pagar conta de água”, comentou o deputado Davi Maia.

PREÇO DA ÁGUA

A pesquisa também consultou a opinião dos consumidores sobre o valor cobrado pela água com a pergunta “Considerando a qualidade da água recebida em sua casa/condomínio, você considera que o preço pago pela água é:”. Dessa vez, mais da metade da população considerou o preço caro, 56,5%.

Os moradores da Ponta Grossa e região, Canaã e região, Jatiúca e região foram os que pior avaliaram o serviço, com 66,9%, 62,8% e 60,8%, respectivamente, respondendo que consideram caro o valor cobrado pela qualidade da água que chega nas torneiras.

Fonte: Ascom/ALE

Veja Mais

2 Comentários

  • RICARDO ALEXANDRE DE OLIVEIRA SILVA says:

    Maceió tem mais de 1 milhão de habitantes, apenas, segundo eles, pouco mais de 1000 foram entrevistados, aí chega-se à conclusão que mais da metade está insatisfeito com a CASAL. Eita matemática desgraçada. Se eu tivesse essa aula no passado, ter-me-ia tornado Astronáutica. Olhe que não sou servidor de nenhuma Estatal. Sei que o serviço não é lá essas coisas todas, mas sei bem o que ocorrerá se ela for privatizada. Aumento exagerado sem melhoria do serviço prestado.

  • Joao says:

    Este deputado está com muita vontade de privatizar a Casal, até encomendar por conta própria uma pesquisa mentirosa. Tem caroço neste angu. A casal já vem com 6 anos consecutivos fechando com superavit(lucro). Por isso o interesse de privatizar, não é deputado ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações