“Alunos se assustaram muito”, diz estudante sobre piso que cedeu em escola

Direção da Escola Estadual Padre Benjamim Copetti/divulgação

‘Alunos se assustaram muito’, diz estudante sobre piso que cedeu em escola de Sobradinho

Uma estudante que estava no auditório da escola estadual onde o piso cedeu, na quinta-feira (18), em Sobradinho, relatou que os colegas se assustaram até conseguirem entender o que estava acontecendo.

“Na hora, os alunos se assustaram muito, houve um pouco de pânico, sim. Principalmente ao lado oposto de onde cedeu a terra. Porque a gente não sabia o que estava acontecendo. Alguns pensaram que fosse um tiroteio, um ataque, ou que o teto estivesse cedendo”, conta a estudante do 3° ano do Ensino Médio Renata Ferraz Ceretta.

O fato ocorreu na Escola Estadual de Educação Básica Padre Benjamim Copetti. Um vídeo de uma câmera de segurança mostra o exato momento em que o piso do auditório cede, abrindo um buraco no chão, durante uma apresentação.

Nas imagens, estudantes aparecem sentados em cadeiras de plástico enfileiradas quando, de repente, o chão se rompe, e parte do grupo de alunos cai. Assustados, alguns correm para fora do auditório, outros tentam resgatar os que ficaram caídos no buraco.

“Graças a Deus, todos estão muito bem. Quem caiu no buraco, já está bem. Teve leves escoriações, mas nós passamos bem fisicamente e mentalmente. Alguns ainda estão assustados, estão receosos em vir à aula, muitos faltaram hoje, mas estamos todos bem”, conta Renata.

No local, 300 pessoas assistiam a apresentações de fim de semestre. Uma delas teve um corte na mão, levou alguns pontos, e já está em casa.

O prédio onde ocorreu o fato fica em um anexo, na parte de trás do colégio. O local foi interditado e nesta sexta-feira (19) as aulas ocorreram normalmente.

Segundo a direção da escola, técnicos e engenheiros ligados à Secretaria Estadual de Educação (Seduc) devem ir ainda nesta sexta no prédio fazer uma vistoria para saber quais foram as causas do acidente.

A Seduc informou que “felizmente, nada aconteceu com as crianças e elas estão bem”. Também acrescentou que a 6ª CRE foi comunicada e que solicitou “uma vistoria urgente dos técnicos da Coordenadoria Regional de Obras”.

Ainda conforme a Seduc, a escola não estava com solicitações de reparos ou obras, então, será feita a verificação emergencial sobre o que aconteceu.

O prédio foi construído em 1957, mas o auditório veio mais tarde: em 1999. Segundo o diretor do colégio, Alécio Fabiano Marion, ele não apresentava problemas na estrutura, muito menos necessidade de obras emergenciais.

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações