Ônibus da Veleiro voltam a circular normalmente após audiência no MPT

Com acordo firmado entre funcionários e empresa, greve está acabada e horários são regularizados a partir de terça (13)

Alagoas24horas/Arquivo

Trabalhadores da Veleiro voltam a cruzar os braços

Os rodoviários da Veleiro decidiram nesta segunda-feira, 12, encerrar a paralisação que começou na última quinta-feira (08), após audiência no Ministério Público do Trabalho de Alagoas (MPT-AL). Os ônibus voltam a circular em horário normal a partir desta terça-feira (13).

O movimento foi motivado pelo atraso salarial do último mês de julho e a cobrança do pagamento do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço) e encargos sociais.

Os funcionários e representantes da empresa, que opera nos municípios de Maceió e Rio Largo, acordaram que  todos os pagamentos deverão ser regularizados até o dia 22 de agosto e a empresa se comprometeu a evitar que a situação se repita e não descontar os dias em que os trabalhadores estiveram parados. Além disto, foi concedida estabilidade de 90 dias, o que significa que a empresa não poderá demitir os funcionários durante este período, exceto por justa causa.

O acordo contudo não versou sobre todas as reivindicações feitas pelo Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Alagoas (Sinttro-AL) e por isto, será designado até o final do mês um procurador do Trabalho para dar continuidade ao processo de negociação entre categoria e empresa. O novo encontro está marcado para o dia 19 de agosto. 

Gerenciamento de Crises da Polícia Militar também participou da negociação do acordo.

No último sábado, por ordem judicial, os ônibus da empresa circularam com a frota reduzida, e a Justiça chegou a determinar o retorno ao trabalho dos 600 trabalhadores que aderiram o movimento, mas os veículos foram impedidos de deixar a garagem da empresa nesta manhã. Ao todo, 80 ônibus, divididos em mais de  15 linhas, não circularam durante cinco dias.

A estimativa, segundo o sindicato, é que mais de 100 ônibus estejam parados e cerca de 40 mil passageiros tenham sido afetados.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações