Brusque é campeão nos pênaltis com recorde de público na Arena da Amazônia

O Brusque é campeão inédito do Campeonato Brasileiro da Série D. O título foi confirmado nos pênaltis após empate por 2 a 2 no tempo normal, nesta tarde na Arena da Amazônia. O primeiro jogo tinha terminado 2 a 2 em Santa Catarina. A torcida prometeu e superlotou o estádio construído para a Copa do Mundo de 2014, com novo recorde de público.

No total 44.896 torcedores viram a emocionante decisão, superando em 477 pessoas o recorde anterior que era de Vasco x Flamengo em 2016 com 44.419 presentes. A renda foi de R$ 1.192.010,00.

TODOS NA SÉRIE C
Além do campeão, o vice-campeão Manaus, fundado em 2013, também garantiu o acesso para a Série C em 2020. O mesmo vale para os dois semifinalistas, eliminados na fase anterior: o Ituano-SP e o Jacuípense-BA.

Sob um calor de 35 graus, o jogo também começou quente dentro de campo. Logo aos dois minutos, o Brusque surpreendeu ao abrir o placar. Thiago Alagoano cobrou falta em direção à pequena área, a defesa não aliviou e a bola sobrou para Junior Pirambu completar para as redes. Seu décimo gol, artilheiro máximo da competição.

SUSTO NA GALERA
A torcida que superlotou a arena se assustou, mas logo se recuperou do golpe. Aos sete minutos saiu o empate. Após levantamento de Panda para a área, Derlan escorou de cabeça e Sávio também escorou para as redes. No primeiro tempo, o Manaus tentou atacar mais, porém, abriu espaços para os perigosos contra-ataques catarinenses.
No segundo tempo, o Manaus conseguiu a virada. Após escanteio cobrado por Evair, a defesa não subiu e Mateus Oliveira se antecipou para testar firme para as redes aos 13 minutos. O jogo parecia sob controle, mas a partir dos 25 minutos o Brusque se atirou ao ataque.

OUTRO EMPATE
Acabou premiado com o empate aos 36 minutos com Thiago Alagoano. Após cruzamento na área, ele apareceu sozinho para desviar para as redes, deixando tudo igual.

Os últimos minutos foram de muita tensão. Mas a definição acabou indo mesmo para os pênaltis.

UM ISOLOU NO PENALTI
Os cinco batedores de cada time foram perfeitos, sem dar chances para os goleiros. Mas na sexta cobrança, Márcio Passos, do Manaus, acabou isolando a bola. O experiente goleiro Zé Carlos, capitão do time catarinense, foi para a sexta cobrança e marcou, confirmando a vitória por 6 a 5.

Bateram para o Manaus: Derlan, Charles, Martony, Spice e Mateus Oliveira. Do lado do Brusque, converteram as cinco penalidades: Thiago Alagoano, Airton, Tiago Henrique, Gama e Vinícius.

Fonte: AFI

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações