A psicologia pode ajudar no emagrecimento

Conheça o “Pense Magro”, que oferece acompanhamento remoto para quem briga com a balança

Educa Mais Brasil

A psicologia pode ajudar no emagrecimento

De acordo com o Ministério da Saúde, entre 2006 e 2018, o percentual de pessoas acima do peso no Brasil aumentou 67,8%. Efeito sanfona, baixa autoestima, desânimo, frustação por não conseguir seguir os planos alimentares, juntamente com a falta de atividade física, são as queixas principais de muitos pacientes nos consultórios atualmente.

As situações que viram grandes barreiras no processo do emagrecimento são inúmeras e a resposta pode estar no psicológico de cada ser humano. Afinal, quem nunca ouviu a frase “mente sã, corpo são”? A psicóloga e coach psicológico, Ludmila Garcia, é especialista nesta área e ressalta a importância de um profissional do segmento. “O psicólogo não está restrito a tratar questões de transtornos mentais, mas pode também ajudar, inclusive, a mudar o comportamento, gerar motivação, elevar a autoestima, auxiliar em situações de compulsão. Tudo isso está diretamente relacionado com o processo de emagrecimento. É preciso estar bem emocionalmente para conseguir perder peso, praticar atividade física com prazer e ter um acompanhamento nutricional sem sofrimento”, defende.

Com o objetivo de auxiliar pessoas especificamente nesta área, Ludmila criou o “Pense Magro”, projeto que tem como objetivo o emagrecimento sem dietas focando na qualidade de vida, percepção de si mesmo e tudo que nutre o ser para além da alimentação. “O foco inicial é a mudança do pensamento para superar as crenças limitantes, conquistar o equilíbrio emocional e fazer da perda de peso uma consequência a partir disso. Está com vontade de comer um doce? Coma um doce e está tudo bem. É importante deixar claro que esse acompanhamento não exclui de maneira alguma a prática regular de atividades físicas e muito menos a avaliação nutricional”, pontua.

Garcia acredita que a prevenção é o aliado para o emagrecimento. “Faço um cronograma de 12 sessões para a paciente tratar sua relação com a comida, com o corpo e autoimagem e fazer escolhas inteligentes. Além de conscientizar a pessoa a não se sabotar. Traço um atendimento individualizado durante algumas semanas e, assim, o paciente consegue ir aprendendo a fazer escolhas inteligentes”.

A Engenheira Civil Erica Orge participou do projeto e assegura os bons resultados. “Eu sofria há um bom tempo com distúrbios alimentares e o projeto mudou muito minha relação com a comida e comigo mesma. Aprendi a fazer boas escolhas e dieta não faz mais parte da minha vida, o exercício já não é mais uma dificuldade. Hoje em dia, é tudo solução”, comemora.

O Projeto Pense Magro é realizado online. Os encontros e materiais serão disponibilizados via e-mail e os contatos realizados via telefone (whastapp) e video-chamada pelo Skype ou FaceTime, conforme previsto e descrito no Atendimento Online permitido aos psicólogos pelo Conselho Federal de Psicologia. Assim, como a resolução 11/2018, a terapia online está totalmente liberada, nos mesmos critérios de um atendimento presencial.

Fonte: Educa Mais Brasil

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações