Perícia examina viatura usada para levar servente de pedreiro desaparecido

Arquivo Familiar

José Renildo Cassimiro desapareceu após ser levado por guardas municipais

A Perícia Oficial de Alagoas (Poal) foi acionada nesta terça-feira, 08, para examinar a viatura da Guarda Municipal, que foi utilizada por dois guardas municipais para levar o servente de pedreiro José Renildo Cassimiro da Silva, de 26 anos, na última sexta-feira, 04. A informação foi confirmada pela assessoria de comunicação da Poal, nesta tarde.

Familiares de José Renildo relataram ao Alagoas 24 Horas que a viatura da Guarda Municipal foi deixada pela dupla na sede do órgão por volta das 18h de sábado, 05. Na entrega, o veículo apresentava marcas de sangue e estava com o vidro traseiro quebrado. “O vidro traseiro da viatura foi quebrado por José Renildo na tentativa de se livrar das agressões. Os guardas municipais deixaram a viatura no prédio da Guarda no sábado e saíram de folga. Até hoje, eles ainda não foram localizados. Recebemos a informação de que um deles está se organizando para fugir e pensa em viajar já amanhã”, disse a esposa do servente de pedreiro, Djéssica Nascimento.

Djéssica Nascimento contou ainda que os parentes continuam as buscas por conta própria, mas nesta tarde, a família irá ao Centro Integrado de Segurança Pública (Cisp) de Campo Alegre conversar com os responsáveis pelas investigações e tentar ajudar os peritos do Instituto de Criminalística nos levantamentos do caso.

Ela informou ainda que parentes encontraram um rastro de sangue em uma via de acesso a Campo Alegre que acreditam ser de José Renildo. “Foi encontrado por meu pai e amigos do meu esposo rastros de sangue no caminho que dá em Campo Alegre. Iremos encontrar a perícia do IC hoje à tarde e levá-los lá”, disse Djéssica Nascimento.

Sobre a motivação para o desaparecimento de seu esposo, ela acredita que ele foi levado por vingança uma vez que já tinha se desentendido há alguns anos com um dos guardas municipais. “Ele conhecia um dos guardas. Antes, quando ele não era da Guarda Municipal, meu esposo e ele tiveram um desentendimento e tinham uma rixa por conta disto. Só que agora, quando entrou na Guarda, quis se vingar”,  afirma.

O caso está sendo investigado pelo delegado Alexandre César, titular do Distrito Policial de Campo Alegre.

 

 

 

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações