Jogador morto por casal teve 80% do corpo queimado, aponta laudo

Arquivo Pessoal

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) aponta que o jogador de basquete Samuel Rodrigues de Carvalho Campos, de 18 anos e que foi atacado e morto por dois adolescentes em um parque de Piedade (SP), teve 80% do corpo queimado e órgãos perfurados.

A vítima foi atraída para a área no bairro do Poço por uma menina com quem ficava na tarde do dia 14 de setembro. A adolescente de 17 anos e o namorado dela, de 15 anos, foram levados à delegacia, onde confessaram o crime. A polícia acredita que o crime foi premeditado.

O G1 teve acesso exclusivo ao documento nesta terça-feira (8). A perícia no corpo de Samuel afirmou que ele sofreu queimaduras de 2º e 3º grau, 12 ferimentos de faca na cabeça e 5 no corpo, além de vários outros ferimentos, como a perfuração do pulmão e do fígado.

O legista afirma no registro que o jovem foi “vítima de morte violenta em decorrência de agressão a faca”. Mesmo internado na Unidade de Terapia Intensiva em Sorocaba (SP), o jogador sofreu um choque hemorrágico.

A polícia apreendeu os celulares do casal e a perícia do Instituto de Criminalística deve apontar se houve alguma mensagem ou a existência de alguma imagem relacionada com crime premeditado. Os dois adolescentes foram encaminhados à Fundação Casa.

Relembre o crime

O adolescente afirmou no primeiro depoimento que Samuel havia “ficado” com a garota, também apreendida, e a vítima pretendia ter um relacionamento com ela.

Os três teriam combinado de se encontrarem, ainda segundo o depoimento, para que a jovem terminasse com Samuel. Como a vítima jogava basquete e era alta, o adolescente contou que levou um litro de álcool e a faca para se defender em caso de briga.

Em seguida, o menino relata que teria visto Samuel tentando beijar a garota, que “ficou sem reação, foi para cima dele com uma faca e entraram em luta corporal”. Na sequência, o esfaqueou na cabeça.

Sobre o álcool, o adolescente afirmou à polícia que jogou e acendeu o isqueiro para tentar afastar o jogador. Ainda de acordo com o registro, o jovem contou que faz tratamento contra depressão e que toma medicamentos.

Vida pessoal

Segundo a mãe da vítima, Andréa Carvalho de Campos, o filho trabalhava em uma indústria têxtil em Votorantim, mas a paixão dele era o esporte.

“Eu sinto uma revolta. Meu filho era trabalhador, ele estudou muito. Tem inglês, informática, todo mundo conhece ele aqui [em Piedade]. Ele era esportista, não fumava, não bebia, não mexia com coisa ruim. Ele não merecia”, desabafou.

Em entrevista ao G1, o treinador Marco Paes contou que Samuel treinava e tinha o sonho de se profissionalizar no esporte. No entanto, ao ficar maior de idade diminuiu o número de treinos para intercalar com o trabalho em uma empresa para ter renda.

O corpo de Samuel foi velado na terça-feira (17), em Sorocaba (SP). O enterro foi 10h, no cemitério Santo Antônio.

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações