Cultura


Rendeiras e sururu serão patrimônio imaterial de AL

AscomRendeiras e sururu serão patrimônio imaterial de AL

Rendeiras e sururu serão patrimônio imaterial de AL

Saberes, celebrações, fontes de expressão e lugares poderão se tornar patrimônio imaterial de Alagoas. O Conselho Estadual de Cultura aprovou nesta terça-feira (12), a minuta de decreto que institui o registro de bens culturais de natureza imaterial que constituem o patrimônio cultural alagoano.

O principal objetivo deste decreto é dar continuidade histórica do bem e sua relevância para a memória, a identidade e a formação da sociedade alagoana. Segundo o secretário de Estado da Cultura, Osvaldo Viégas, 12 estados já possuem uma legislação adequada para o patrimônio imaterial.

“Estamos buscando um marco legal para este patrimônio em Alagoas. O estado da Bahia, por exemplo, reconheceu o ofício das baianas do acarajé como um patrimônio deles e nós também queremos tornar o nosso sururu de capote, o guerreiro e outros um patrimônio de Alagoas”, explicou o secretário.
Ele disse ainda que a minuta de decreto que institui o registro de bens culturais de natureza imaterial que constituem patrimônio cultural alagoano será encaminhada ao gabinete do governador para que sejam tomadas as devidas providências.

Já deram entrada no protocolo da Secretaria de Estado da Cultura a solicitação para registro como patrimônio cultural imaterial alagoano a Paixão de Cristo do morro da Massaranduba, em Arapiraca, a Umbanda que é uma religião genuinamente brasileira, o bloco Pinto da Madrugada, a Paixão de Cristo de Junqueiro e a renda de filé.

Segundo a conselheira e gerente da unidade de turismo, artesanato e cultura do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Alagoas (Sebrae/AL), Vanessa Rocha, o bordado filé já é reconhecido informalmente como nosso bem, reconhecido como fonte de renda e como um patrimônio imaterial alagoano.

“Poder legalizar este reconhecimento do Estado é fundamental, isso nos anima a continuar neste processo em prol daquela comunidade”, explicou a gerente do Sebrae/AL.

Fonte: Mirella Costa/Secretaria de Cultura do Estado

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>