Vaticano divulga documento contra manipulação genética e união gay

O Vaticano difundiu nesta terça-feira hoje um documento contrário à manipulação genética e em defesa da vida, desde seu primeiro instante", no seio de famílias formadas por homem e mulher, as quais definiu como um "ambiente adequado para a concepção de um novo ser humano".

O texto, redigido pelo Pontifício Conselho para a Família e intitulado "Família e Procriação Humana", é dirigido aos episcopados de todo o mundo.

O documento adverte para o perigo que a manipulação genética representa, devido ao uso dos embriões e à intervenção, por meio da inseminação artificial ou da fecundação in vitro, no processo de fecundação.

"O ser humano espera ser gerado e não produzido, chegar à vida não em virtude de um processo artificial, mas por um ato humano no sentido pleno da expressão", explicou o cardeal Alfonso López Trujillo, presidente do Pontifício Conselho para a Família.

Trujillo disse que a Igreja Católica defende a união entre homem e mulher, ordenada por sua própria natureza e inspirada no amor. Ele também reiterou que a vida deve ser defendida desde seu primeiro instante e que "as conseqüências dessa afirmação são muitas e de grande importância".

O documento do cardeal, que tem 50 páginas, analisa temas de bioética e biomedicina e destaca como idéia central que "a procriação humana tem seu local adequado no matrimônio". "Conseqüentemente, apenas uma família formada por um homem e uma mulher constitui o ambiente adequado para que chegue à vida um novo ser humano, ou seja, um ser dotado de dignidade e chamado a ser amado… A procriação deve acontecer sempre no interior da família", diz o texto.

Trujillo alertou para o que chamou de "manifestação da apologia da família monoparental, reconstituída, homossexual, lésbica".

"O eclipse de Deus", que está na base da profunda crise atual da verdade, inspira leis que tendem a reconhecer ‘casais insólitos’ formados por ‘homossexuais que reivindicam os mesmos direitos reservados a marido e mulher’", acrescenta o documento do Vaticano

O cardeal diz ainda, em seu texto, que nunca como agora a instituição do casamento e da família foi vítima de ataques tão violentos. "Nesse clima cultural, os grandes desafios à família e à procriação responsável se tornam cada vez mais ameaçadores sobre duas frentes: contra a família, pois o homem é concebido apenas como indivíduo, uma espécie de Robinson Crusoé [obra de de Daniel Defoe, publicado em 1719]; e contra a procriação responsável, pois o homem assim concebido deve tentar todas as possibilidades da ciência e da técnica para a produção de um novo homem", informa o texto.

Fonte: Folha

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações