Justiça


TJ mantém pronúncia e policial vai a júri por morte de modelo

TJALPleno do TJ mantém pronúncia do policial acusado de participação na morte de modelo

Pleno do TJ mantém pronúncia do policial acusado de participação na morte de modelo

O pleno do Tribunal de Justiça de Alagoas votou, a unanimidade dos votos, pela manutenção da pronúncia do policial civil Jaysley Leite de Oliveira, um dos acusados do assassinato do modelo Erick Ferraz, morto a tiros no dia 1º de janeiro de 2012 durante uma festa de réveillon.

A defesa do policial pediu a revisão da pronúncia de Jaysley no crime, alegando que o irmão do policial, Judarley Leite de Oliveira teria confessado o assassinato. Apesar das alegações da defesa do agente público, o pleno do TJ manteve a pronúncia.

A sessão do pleno foi acompanhada pelos pais do modelo Erick Ferraz, que mais uma vez pediram justiça e a consequente condenação dos dois acusados. Segundo o inquérito policial, Erick Ferraz foi morto por motivo fútil, após se envolver em uma briga para defender a namorada. Judarley teria utilizado a arma do irmão para matar o modelo.

O autor dos disparos ficou foragido por vários meses e foi capturado na região norte do País e desde então permanece à disposição da Justiça. Já o policial civil Jaysley Oliveira também foi preso, mas posteriormente foi liberado.


Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>