Aparelho de segurança realiza novas buscas em sítio onde família foi assassinada

Alagoas24HorasPromotor Alfredo Gaspar, coordenador do Gecoc

Secretário Alfredo Gaspar de Mendonça Neto

Uma verdadeira força-tarefa foi deflagrada na manhã desta terça-feira, 10, em busca dos envolvidos naquela que ficou conhecida como Chacina de Guaxuma, registrada no último domingo, 8, quando foram assassinados Esvaldo da Silva Santos, Genilza de Oliveira Paz, Maria Eduarda da Silva Santos e Guilherme da Silva Santos, pai, mãe e filhos. Apenas uma criança de 5 anos sobreviveu ao massacre.

As buscas envolvem o Corpo de Bombeiros, polícias Civil e Militar, além de grupamento aéreo. De acordo com o secretário de Defesa Social, Alfredo Gaspar de Mendonça, as diligências acontecem para encontrar ‘elementos de convicção’ que levem à prisão dos autores. Ainda segundo o secretário, os delegados do caso já possuem suspeitos da chacina.

O crime bárbaro teve como cenário o Sítio do Mel, no Alto de Guaxuma. A família residia no local há cerca de um mês e Esvaldo, conhecido como Benjamin, trabalhava como caseiro. Entre as vítimas, chamou a atenção a brutalidade destinada a Genilza, que foi amarrada e esfaqueada até a morte.

A dona de casa havia anunciado a vizinhos que pretendia sair do local e morar em um residencial na parte alta de Maceió. Em entrevista ao Alagoas 24 horas, o delegado Lucimério Campos disse que a motivação para o crime foi vingança.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações