Blog

Bispo Filho

Bispo Filho é Administrador de Empresas e Estudante de Jornalismo.

Todas as postagens são de inteira responsabilidade do blogueiro.

26 de Junho por Sergio Oliva Castillo

A semana do dia 26 de junho a é a semana internacional de combate às drogas. Esse combate é contra a uma “enfermidade” que se espalhou pelo mundo e que é a origem de tantos problemas abomináveis, como por exemplo, o tráfico de entorpecentes, que causa tantas mortes e famílias destruídas.

Só há uma coisa certa sobre as drogas: é preciso haver informação e esclarecimento para nossa sociedade, visto que é um tema que está envolto em muito preconceito e ignorância.

 

Quando falamos em combate às drogas, além de informação também não podemos deixar de falar em prevenção.

 

Até mesmo com as famílias que passam por esse problema, geralmente demoram anos para buscar ajuda, muitas vezes quando o fazem já não há muita saída, o dependente químico já passou por grande comprometimento físico e mental.

Por isso a prevenção deve começar em casa mesmo. Nós pais e educadores não podemos fazer vistas grossas à experimentação na adolescência, pensando ser apenas rebeldia da idade, algo que pode ser passageiro.

Não podemos minimizar os prejuízos do uso de drogas erroneamente classificadas pela sociedade como sendo “mais leves” como o álcool, maconha, comprimidos, chás, anabolizantes.

Todas são drogas, isso mesmo: todas alteram o mecanismo cerebral.

O uso tanto de álcool como de maconha não devem deixar de ser preocupantes e exigir atenção e ação imediata dos pais.  São drogas que trazem prejuízos para a memória e para a concentração e podem até mesmo causar transtornos psicóticos.

A percepção dos adultos quanto aos riscos do álcool e da maconha é mínima, então deixa a experimentação rolar e quando abrimos olhos a dependência já está instalada.

Lembrando que a dependência química é uma doença crônica e progressiva, caracterizada pelo consumo compulsivo e excessivo de drogas lícitas ou ilícitas e sempre começa de uma forma que parece muito “inofensiva”.

 

Como especialistas em dependência química alertamos que os pais fiquem atentos a alguns sinais: alteração de personalidade e de humor, irritabilidade constante, baixa tolerância à frustração, impulsividade, não seguir regras, atitudes irresponsáveis e agressivas, falta de motivação para as atividades do dia a dia, baixa auto estima, negligência quanto aos cuidados com a higiene pessoal, além de sintomas físicos como fadiga, dores de cabeça, enjoos, entre outros.

Outro ponto de atenção é o comportamento na escola, que pode envolver perda de interesse, queda no rendimento, atrasos, faltas, problemas disciplinares, desleixo na higiene e nas vestimentas.

 

Esta semana o mundo celebra o combate às drogas, e várias ações estão sendo organizadas por ONGs, governos, instituições públicas e privadas para discutir o tema e encontrar caminhos.

 

No Brasil este assunto ainda é um imenso desafio, existe um caloroso debate e diversas contradições entre a legalização ou não legalização das drogas que na verdade foge do foco que realmente interessa e que revela muito mais concordâncias ou desacordos.

 

O foco deveria ser a busca por uma abordagem equilibra­­da entre as ações de prevenção, in­­cluindo o amplo acesso aos serviços de saúde para os usuários, e as ações de contenção, focados no controle ao crime organizado e aos grandes financiadores do tráfico!

 

Prevenir é sempre mais fácil do que reparar um dano já instalado (embora seja sempre possível, acreditamos firmemente nisso)!

maxresdefault

Texto: Sergio Castillo

Diretor Terapêutico
Clínica Grand House

http://www.grandhouse.com.br/

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações