Alegações de empresário não convencem a Polícia Federal

O empresário Elias Vilela vai ter muitas dificuldades de convencer as autoridades sobre a inexistência de qualquer participação em suposto pedido de propina às empresas Odebrecht e OAS com relação à construção dos trechos 3 e 4 do Canal do Sertão.

Na Polícia Federal o irmão do ex-governador Téo Vilela, assim como o engenheiro da empresa Cohidro, Gerônimo Leonel, negam qualquer pedido de propina e afirmam que eles participaram de reuniões com representantes de construtoras para tratar apenas de “assuntos institucionais”.  Essas alegações não convenceram a polícia, que não vê nenhuma justificativa para uma pessoa que trabalha no ramo da cana-de-açúcar se reunir com empreiteiros para tratar de assuntos da construção. Elias, assim como outros, podem ter sua prisões preventivas decretadas a qualquer momento a pedido da Polícia Federal.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Receba notificações no seu whatsappReceba nossas notificações