Blogs


It – A Coisa resgata terror e suspense clássico, mas não surpreende

Esta postagem é de total responsabilidade do blogueiro.

20170509-it-a-coisa

It – A coisa que chega hoje (7) aos cinemas não é um dos melhores filmes de terror e suspense que assisti nos últimos meses, talvez porque esteja acostumado aos longas sangrentos, envolvendo demônios ou mortes violentas. E o diretor Andrés Muchietti resgata um pouco dos terrores clássicos dos anos 80 e 90.

Por ter assisto ao primeiro, fiquei sem encaixar algumas partes da trama, mas o final, foi uma grata e maravilhosa surpresa, quando há uma ligação entre os dois filmes, isto mesmo, um tipo de prelúdio de It- Uma Obra Prima do Medo. Neste, crianças começam a desaparecer na cidade de Derry, no Maine, um grupo do bairro se une para atacar Pennywise, um palhaço malvado, cuja história de assassinato e violência remonta há séculos.

É impossível não comparar com Stranger Things, até porque o jovem ator Finm Wolfhard, que faz o Mike na série, é um dos protagonistas, e o roteiro se passa no fim dos anos 80. Por se tratar de um remake poderia ser ambientado nos tempos atuais, com adaptações que deixariam a trama mais interessante.

A sensação que tive nos primeiros vinte minutos é que estava assistindo o primeiro episódio de uma série apresentando lentamente cada um dos personagens. E ficava pensando: Meus Deus, vai dá tempo de contar tudo em duas horas e meia?

Depois que começam os desaparecimentos, o filme toma um ritmo eufórico, e soluções começam a surgir rapidamente. Em um diálogo de cinco, minutos, isso mesmo, cinco minutos, as crianças já descobrem o que está acontecendo, quem está causando tudo isso, e como deve detê-la. Então começam as tentativas frustradas de deter o palhaço.

Já o final é um grande filme de aventura, quando os amigos se unem e juntos detém o monstro. Por beber diretamente da fonte de Stephen King, não temos muitos sustos, mas o enredo é aterrorizante e o que atraí o espectador.

Destaque, sem dúvida, para Bill Skarsgard que faz o palhaço Pennywhise. Com a caracterização totalmente diferente, ele consegue dar nova vida a um personagem clássico do terror. A risada, os gestos, tudo bem pensando para o público atual que espera algo macabro e sarcástico de seus monstros.


Veja mais


“Coração” de Johnny Hooker pulsará em Maceió no dia 12

Nos anos de 1970 tivemos a invasão baiana na música brasileira com Gil, Caetano e seus Novos Baianos. Nos anos 80 um alagoano chamado Djavan chegava ao mercado nacional. Depois p...

30713050_1771802472841905_3282836532384853324_n

Love Wins, a festa que celebra todas as formas de amor

No meio de tanta intolerância e demonstrações de ódio cada vez mais visíveis, acontece nesta sábado (5) na Boate Ibiza, no bairro do Jaraguá, em Maceió, a edição da Festa...

31239260_366353417210380_7626597964655362048_n

Trilhas sonoros de grandes filmes em novo espetáculo da Filarmônica de Alagoas

O que seriam dos filmes sem suas trilhas sonoras? A entrada de Darth Vader não seria a mesma se a “Marcha Imperial” composta por John Williams , ou a cena de Jack e R...

Pop Boy

Marcos Filipe é jornalista formado pela Universidade Federal de Alagoas e viciado em tudo o que envolve Mídias Sociais, Cinema, Televisão, Música, Literatura e Eventos. Um Geek de carteirinha, ligado em desenho animado e games. Desde 2010 escreve sobre esses assuntos se alimentando todos os dias da mais pura Cultura Pop.

Outros posts de Pop Boy

1 Comentário

  • Tive a mesma impressão. Amei sua crítica. Fiquei achando que só eu não tinha curtido tanto. Criei uma expecativa que não foi sanada, rs. Abraços!

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>