Blogs


Renan esperneou, esperneou, mas foi derrotado na Reforma Trabalhista no Senado

Esta postagem é de total responsabilidade do blogueiro.

O senador Renan Calheiros levou até o fim a sua estratégia de espernear e ficar ao lado do trabalhador brasileiro. Ele esperneou, um direito inalienável, mas no fim ele sabia que estava falando apenas para a plateia. A Reforma Trabalhista foi aprovada com 50 votos favoráveis, mas o senador aproveitou para agredir o governo, ficar ao lado do PT que tanto combateu e levantar uma bandeira para a sua campanha política. Renan colocou em prática sua estratégia para tentar sua reeleição ao Senado e deve percorrer o Estado de Alagoas levando aos comícios sua decisão de ser contra a Reforma Trabalhista, que ele acha que será prejudicial ao trabalhador brasileiro. Essa estratégia, como já disse em post anterior, pode até dar certo. Mas tem tudo para dar errado.


Veja mais


Ministro do Supremo Tribunal Federal manda arquivar última denúncia contra o senador Benedito de Lira

A última denúncia contra o senador Benedito de Lira que tramitava no Supremo Tribunal Federal, foi mandada arquivar pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava-Jato. O Ministro e...

Enfraquecidos com a proibição do Tribunal Superior Eleitoral, militares tentam a última cartada por reajuste salarial

O que parecia ser uma “guerra” entre militares e o governo do Estado sobre a aplicação de reajustes salariais, o imbróglio parece vai terminar ruim para a PM. A idei...

Pagamento de 5 salários mínimos pela Massa Falida é indigno e humilhante, afirmam trabalhadores; decisão descumpre orientação da Justiça do Trabalho

Além de considerarem uma “esmola” o pagamento de até cinco salários mínimos para os credores que serão feitos pela administração da massa falida da Laginha Agroi...

Blog do Mousinho

Outros posts de Blog do Mousinho

Comente

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>