sabado, 01 de novembro de 2014
parcialmente nublado23ºCMaceio
 
Mala direta, Assine!

Cadastre-se e receba nossa mala-direta com os destaques do dia. Muito mais comodidade para voce!

Curta a nossa Fanpage Siga-nos no Twitter Assine o FEED
00:00:00

Notícias

Cultura 13h05, 26 de Setembro de 2011

Imprensa Oficial lança cinco livros da Coleção Coco de Roda


No dia 27 de setembro será lançada pela Imprensa Oficial Graciliano Ramos, a coleção Coco de Roda, composta de cinco títulos, escritos por alagoanos ou radicados em Alagoas, voltados para o público infantil. O lançamento será realizado às 15h, na Escola Estadual Maria Rosália Ambrósio, no Cepa, para um público de 250 crianças. As obras são Upiara (Eliana Maria), O que só as minhocas podem ver? (Luana Teixeira), Pescando histórias à beira-mar (Daniel Libardi e Adélia Souto), O baile das meninas (Geisa Andrade) e O segredo do rio Mundaú (Sara Albuquerque). Durante o lançamento, haverá contação de histórias pela Cia do Chapéu. Após o lançamento as obras estarão à venda na Imprensa Oficial Graciliano Ramos, na livraria da Edufal e na revistaria Porto Seguro. Todas as obras retratam aspectos da cultura local. A iniciativa é fruto de edital lançado na quarta edição da Bienal Internacional do Livro de Alagoas com o objetivo de estimular novos escritores alagoanos a produzir obras que, tendo como base a cultura regional, contribuíssem com a formação intelectual de uma nova geração de leitores, e minimizar as dificuldades enfrentadas pelos autores locais ao tentar publicar os seus livros.

Upiara trata da cultura indígena. A autora, Eliana Maria, que trabalha com educação preventiva em odontologia, nasceu no Pilar e inspirou-se na região em que vive para ambientar seu livro, que narra a história de um pequeno guerreiro indígena que precisa mostrar à sua tribo que ser diferente não significa ser inferior. O livro foi ilustrado pelo Estúdio Alba. Os integrantes contam que foi um desafio pensar em soluções que prendessem a atenção das crianças. “Sempre tivemos vontade de desenvolver algum trabalho que explorasse o universo infantil e queríamos criar algo que ficasse mais próximo do real, para atrair este público”, conta Herbert Loureiro.

Eliana possui outras histórias que se passam em Alagoas, mas relacionadas a mitos nórdicos, com dragões, cavaleiros, etc. Desta vez, resolveu falar de Saci Pererê, Curupira, Boi Tatá e criou o herói indígena Upiara. Inspirada a escrever pelos sobrinhos, já tem outras histórias prontas, mas essa é a primeira vez que publica um livro. “Eu achei a iniciativa maravilhosa, porque nosso Estado tem vários artistas que têm capacidade, mas não tem oportunidade de mostrar seu talento. O livro infantil é muito caro de ser feito e muita gente não pode investir nisso. Gostaria que houvesse outras ações como essa”, declara.

Já em O que só as minhocas podem ver, obra escrita por Luana Teixeira, é retratado um trecho importante da história do Estado. Através da viagem de Jurema e Xinoca, as duas minhocas que guiam a história, o leitor é levado à cidade de Penedo, que, no século 17, foi ocupada por holandeses e portugueses. Luana é historiadora e trabalhou dois anos no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Lá encontrou alguns estudos sobre o Forte Maurício, que serviram como base para seu livro. “Sempre tive vontade de escrever para crianças. O edital acabou me dando o estímulo que faltava”, conta Luana. Sobre seu primeiro livro, ela afirma que gostou muito do resultado final e das ilustrações feitas por Chris K.

Pescando histórias à beira-mar, de Adélia Souto e Daniel Libardi, passeia por lendas contadas nas vilas de pescadores alagoanas. Essas histórias, ilustradas por Emanoel Melo, são passadas de pai para filho e revelam um pouco dos costumes, crenças e cultura das comunidades que vivem da pesca no Estado.

A obra é fruto de um trabalho desenvolvido em cinco comunidades litorâneas de Alagoas. O projeto tinha como objetivo conhecer as experiências das crianças que vivem nas comunidades através de atividades com desenho, histórias e fotografia. “Buscávamos compreender como se dá a vida das crianças nestes locais e o que elas pensam sobre infância”, conta Adélia. Um dos objetivos era a publicação de um livro que contasse as histórias dos locais.

Foi quando surgiu o edital e os autores aproveitaram a oportunidade. “Queremos também despertar o interesses destas crianças para a leitura e pensamos que este interesse pode surgir de forma mais fluida se elas forem estimuladas a ler histórias que fazem parte de seu cotidiano”, finaliza.

Emanoel Melo conta que ilustrar o livro foi responder a uma curiosidade de infância. “Quando criança eu passava horas observando as ilustrações dos meus livros e ficava imaginando como elas teriam sido feitas. Não foi à toa que, mais tarde, acabei me tornando desenhista, porém mais voltado para os quadrinhos e a publicidade. Espero que, ao verem minhas ilustrações, as crianças se sintam parte daquela história, criem um laço com os personagens e a revisitem sempre que sentirem saudade”, diz.

As cidades do interior de Alagoas são retratadas no livro O baile das meninas, da pedagoga Geisa Andrade. A história se passa em São Miguel dos Milagres, litoral Norte do Estado, onde a autora desenvolve um trabalho com crianças que, através dos contadores de história, passam a conhecer mais sobre o local em que vivem, sendo estimuladas a reescrever o que ouvem à sua maneira. Ela conta sobre um grupo de pastoril que, na noite de estreia, não consegue encontrar uma de suas integrantes. Na procura por Deusa, a personagem principal, a obra detalha o folguedo, apresentando as canções, personagens e vestimentas.

Em seu primeiro livro, Geisa conta que o que escreveu não é apenas ficção. “O livro é fruto de uma demonstração do que vivi com as crianças na época em que se preparavam para a apresentação. Observei toda a mobilização das costureiras, das professoras e das meninas. Essa manifestação é algo muito típico do povoado do Toque, em São Miguel dos Milagres”, relata. Para ela, publicar esta obra significa contribuir com o registro da história e cultura locais. No livro O segredo do rio Mundaú, ambientado na Serra da Barriga, em União dos Palmares, a autora Sara Albuquerque mergulha na riqueza cultural de Alagoas. A obra, que conta a luta de Zumbi, o personagem principal, para libertar o povo negro da escravidão, é mesclada com uma pitada de folclore ao mostrar a amizade entre o herói e a sereia Iara.

A escritora, que também estreia na literatura com O segredo do rio Mundaú conta que é muito gratificante ter seu primeiro livro voltado para o público infantil. “Já trabalhei com crianças e, pelo fato de elas serem muito espontâneas, vou realmente saber como será a aceitação do meu livro”. Ao escrever a história, Sara, que também escreve crônicas e artigos acadêmicos, uniu a riqueza cultural de Alagoas à imaginação.

SERVIÇO

Título: Upiara

Autor: Eliana Maria

Ilustrador: Estúdio Alba

Preço: R$ 15 (24 pags.)

Título: O que só as minhocas podem ver?

Autor: Luana Teixeira

Ilustrador: Chris K

Preço: R$ 15 (24 pags.)

Título: Pescando histórias à beira-mar

Autores: Adélia Souto e Daniel Libardi

Ilustrador: Emanoel Melo

Preço: R$ 15 (24 pags.)

Título: O baile das meninas

Autor: Geisa Andrade

Ilustrador: Thiago Oli

Preço: R$ 15 (24 pags.)

Título: O segredo do rio Mundaú

Autor: Sara Albuquerque

Ilustrador: Bruno Clériston

Preço: R$ 15 (24 pags.)

Fonte: Ascom Cepal

Compartilhe

mais opções
Publicidade
Anterior Observatório da Corrupção em AL visita PF e juiz do processo Taturana
Próxima Concursos: Semana terá inscrições para 7,3 mil vagas

Tags

 
© 2005 - 2014, Alagoas 24 Horas | Anuncie
Redação: Avenida Álvaro Calheiros, 342, SL 13 – Blue Shopping – Mangabeiras
contato@alagoas24horas.com.br
Fone/Fax: (82) 3325-2088
id5 soluções web