quinta, 30 de outubro de 2014
parcialmente nublado31ºCMaceio
 
Mala direta, Assine!

Cadastre-se e receba nossa mala-direta com os destaques do dia. Muito mais comodidade para voce!

Curta a nossa Fanpage Siga-nos no Twitter Assine o FEED
00:00:00

Notícias

Política 12h34, 16 de Agosto de 2012

'O município está em falência e não há como administrar', diz prefeito


Railton Teixeira
Alagoas24horas
Advogado e irmão de Lelo Maia leram carta de renúncia à Prefeitura da Barra de São Miguel
Advogado e irmão de Lelo Maia leram carta de renúncia à Prefeitura da Barra de São Miguel

O prefeito do município de Barra de São Miguel renunciou ao cargo na manhã desta quinta-feira, 16, alegando que o município está em falência completa, com um débito que ultrapassa R$ 2,5 milhões. A declaração foi proferida pelo seu advogado, Marcelo Brabo, que acompanhado do irmão do prefeito interino leu a carta de renúncia à impresa.

George Raposo Maia Neto, conhecido como Lelo Maia, assumiu a prefeitura do município da Barra de São Miguel, distante 35 km de Maceió, após o afastamento do prefeito Reginaldo Andrade, por determinação judicial, sob a alegação de uma extensa lista de irregularidades cometidas contra o interesse e patrimônio público.

De acordo com Brabo, foi formalizado o pedido à presidência da Câmara do município, como também ao Tribunal Regional Eleitoral de Alagoas (TRE/AL), Tribunal de Justiça e Ministério Público. “Ele (Lelo) não pode assumir por uma coisa que não fez, principalmente por uma coisa que não estava nem sabendo”, relatou.

O prefeito, que era vice de Reginaldo Andrade, afirma só ter tomado conhecimento da grandeza do débito do município, segundo Brabo, após assumir o cargo, destacando também que as nomeações feitas, no dia da posse, já foram todas exoneradas.

No documento de renúncia, o prefeito destaca que foram usadas de “maneira pouco aconselhável” valores do Fundo Nacional da Educação Básica (FUNDEB) no valor de R$ 475,5 mil, referente aos meses de janeiro a julho deste ano.

Também seria constatado um débito de R$ 718 mil com os servidores públicos, referente a salários, além de débitos com a Eletrobras, duodécimo da Câmara Municipal, com obrigações legais a exemplo do INSS dos servidores e serviços prestados.

“É desta forma que dizemos que o município não tem condições de ser gerido, para vocês verem a gravidade do problema, ele (Lelo) ao assumir encontrou alguns cheques assinados pelo antigo prefeito e seu secretário de financias em branco, em uma gaveta no gabinete o que se caracteriza crime”, destacou.

Ainda segundo ele, se faz necessária uma intervenção para que se arrume a casa. “Caso contrário não haverá um futuro digno e humano para os seus habitantes”, concluiu.

Leia mais

  • gerson ferreira da silva18/08/2012 11h35 comentou:
  • E verdade a barra de são miguel está falida, e a burguesia que mora nesse lugar não sim revela não fala. a esqueci a burguesia fede de tem dinheiro para comprar perfume, os pobres e quem sim lasca precisando de politicas públicas, mas com certeza está refletos de bandidos a serem candidatos.
  • DIRETO AO ASSUNTO17/08/2012 22h55 comentou:
  • atitude de homem de bem, o prefeito aprontou 3 anos e só agora a justiça afasta o titular e passa o abacaxi p o vice, faltando 6 meses pro fim do mandato, vc provou q é homem do bem vice-prefeito, parabens, ñ pegue bomba xiando.

Compartilhe

mais opções
Publicidade
Anterior HU da Ufal terá campanha com exames para diagnóstica grave doença pulmonar
Próxima Concursos: Semana terá inscrições para 7,3 mil vagas
 
© 2005 - 2014, Alagoas 24 Horas | Anuncie
Redação: Avenida Álvaro Calheiros, 342, SL 13 – Blue Shopping – Mangabeiras
contato@alagoas24horas.com.br
Fone/Fax: (82) 3325-2088
id5 soluções web