quinta, 24 de julho de 2014
muito nublado19ºCMaceio
 
Mala direta, Assine!

Cadastre-se e receba nossa mala-direta com os destaques do dia. Muito mais comodidade para voce!

Curta a nossa Fanpage Siga-nos no Twitter Assine o FEED
00:00:00

Notícias

Justiça 11h14, 29 de Novembro de 2010

MPT pede que usina pague R$ 10 milhões de indenização


Google

Uma ação do Ministério Público do Trabalho em Alagoas contra a Usina Taquara estará na pauta de audiência da Vara do Trabalho de União dos Palmares, próximo dia 13 de dezembro. No documento em julgamento, o MPT pede que a empresa e os sócios sejam condenados a pagar 10 milhões de reais de indenização pelo dano moral coletivo causado aos trabalhadores e à sociedade.

No banco dos réus estão a Usina Taquara, localizada no Município de Colônia Leopoldina, distante 112 quilômetros de Maceió, e os sócios-proprietários José Maria Quirino de Andrade, Luiz Quirino de Andrade e Ademar Quirino de Andrade. De acordo com a procuradora do Trabalho Virgínia Ferreira, autora da ação, sobre eles pesa o fato de reiterada prática de condutas ilegais que vão de encontro à legislação trabalhista e desrespeitam decisões judiciais anteriores e compromissos

firmados com o Ministério Público.

Pelas investigações, constatou-se que o proprietário e gestor da usina, José Maria Quirino de Andrade, vem desrespeitando os direitos trabalhistas dos empregados. “A conduta ilegal da empresa gerou inúmeras autuações por parte do Ministério do Trabalho e Emprego e, mesmo assim, não houve adequação das irregularidades. São anos de inquestionável prejuízo aos empregados, mesmo após acordo firmado perante a Justiça do Trabalho e termo de ajustamento de conduta com o MPT”, declarou Virgínia Ferreira.

A empresa descumpre normas básicas de proteção dos empregados. Não há registro nas carteiras dos trabalhadores, salários, adicionais, horas extras, férias e verbas rescisórias não são pagos nem há o cumprimento das normas básicas de saúde, segurança e higiene no meio ambiente do trabalho.

“Pelas investigações, pudemos constatar que há o desrespeito não só à legislação como aos órgãos que fiscalizam o cumprimento da mesma. A prática da empresa e de seus sócios é uma ofensa a dignidade da coletividade dos trabalhadores, por isso, outra opção não restou ao Ministério Público senão recorrer à Justiça”, argumentou.

Fonte: MPT

Leia mais

  • jose aparecido luna 31/05/2014 09h32 comentou:
  • eu tambem gostaria de receber os meus dereitostrabalhista , pois tenho um ano e quatro meses
  • FORJA13/12/2010 19h14 comentou:
  • E AÍ SABINO, MARINA, SOBREIRA, É O PREFEITO QUE VOCES QUEREM PRA COLÔNIA, NÃO TOMA CONTA NEM DA CASA DELE.

Compartilhe

mais opções
Publicidade
Anterior Juros do crédito pessoal sobem e chegam a 43,6% ao ano
Próxima Concursos: Semana terá inscrições para 7,3 mil vagas
 
© 2005 - 2014, Alagoas 24 Horas | Anuncie
Redação: Avenida Álvaro Calheiros, 342, SL 13 – Blue Shopping – Mangabeiras
contato@alagoas24horas.com.br
Fone/Fax: (82) 3325-2088
id5 soluções web