Denúncia de transporte irregular de estudantes gera confusão em Água Branca

Uma repórter da rádio Delmiro, diz ter sofrido coação por parte do prefeito do município de Água Branca, José Carlos, ao denunciar o transporte irregular de estudantes em uma caminhonete, sem o acompanhamento de um adulto. Segundo a denúncia divulgada na rádio, mães de alunos informaram que desde o ano passado estão reclamando da situação e pedindo providências. Inclusive, a diretora da escola estaria ciente de tudo. “Eles andam na caminhonete sem ninguém olhando e são muito pequenos.  Desde o ano passado está ocorrendo essa situação, mas até agora ninguém fez nada”, disse a mãe que não quis ser identificada.

Após a denúncia, a repórter conhecida como Da Paz, afirma que o prefeito a abordou no Centro da cidade e a chamou para entrar em um ônibus da prefeitura e seguir um determinado percurso, para provar que não havia nada errado com o transporte. No entanto, a radialista explicou que o transporte ao qual se referia na denúncia, era uma caminhonete usada para transportar crianças pequenas, sem acompanhamento.

“Ele disse que iria acionar um promotor e colocar processo e que eu seria a primeira a pagar por esta situação. Por várias vezes insisti em fazer entrevista com ele, colocá-lo no ar para que ele dê sua versão e colocar a situação do município, mas ele gritava mesmo. Botava o dedo na minha cara, dizendo que não aceitava e que não gostava disto”, relatou a repórter durante entrevista ao programa “A Vez do Povo no Rádio”.

Revoltado com a postura do gestor, o âncora do programa, Paulo Lima, teceu duras críticas ao prefeito e lembrou que o espaço é democrático e de respeito aos ouvintes e profissionais. “Os microfones estão abertos para que o senhor venha para trazer explicações. O senhor fala aqui conosco, traz as suas explicações e a gente pode bater um papo e daí o senhor  fala se o problema está resolvido e se não está, porque a denúncia é muito séria. Dentre as atribuições do seu poder não está ficar ameaçando quem está trabalhando”, disse Lima.

No mesmo dia a repórter confirmou com o secretário de Educação da cidade, Odir Siqueira, que estava havendo esse transporte irregular e superlotação, no entanto, estava trabalhando para resolver a situação, redistribuindo os alunos em outros transportes e definindo uma pessoa pra acompanhar as crianças menores, mesmo sem haver no PCC o cargo de acompanhante.

Prefeitura de Água Branca rebate acusações

Tribuna do Sertão/CortesiaÁgua Branca

Água Branca

Os áudios contendo as denúncias estão circulando nas redes sociais. O Alagoas 24 Horas conversou, por telefone, com o secretário de Administração e Finanças da prefeitura de Água Branca, Junior Carvalho, que esclareceu alguns pontos em relação ao transporte disponibilizado aos alunos da Zona rural. Ele afirma que as caminhonetes estão sendo usadas para levar as crianças a comunidades de difícil acesso, a exemplo de Olaria. A geografia da cidade inviabiliza o acesso de veículos como ônibus, já que se trata de uma região serrana. “Muitas vezes nem após passar as máquinas, o acesso melhora”, explicou.

Ainda segundo Carvalho, o prefeito do município esteve com o promotor de justiça para apresentar tais explicações e tentar chegar a uma solução para o transporte de estudantes. O que ele sabe é que a situação está sendo resolvida, conforme havia adiantado o secretário de Educação.

Sobre as denúncias de ameaça à repórter, o secretário acredita que são denúncias infundadas e teriam sido motivadas por disputa política, já que a comunicadora teria ligações com o grupo de oposição ao atual prefeito. O prefeito disse que tomará as medidas cabíveis.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *