Milionário preso por crimes sexuais é encontrado morto na prisão

New York State Division of Criminal Justice Services/Handout/File Photo via REUTERS

Jeffrey Epstein, milionário americano acusado de tráfico sexual de menores, foi encontrado morto em sua cela na prisão de Manhattan.

O momento exato da morte do milionário e as circunstâncias ainda não foram esclarecidos, mas a imprensa internacional cita aparente suicídio.

Sua morte acontece menos de três semanas após ele ter sido encontrado ferido em sua cela com marcas no pescoço em suposta tentativa de suicídio. Na ocasião, ele recebeu atendimento médico e voltou para Metropolitan Correctional Center, onde aguardava julgamento.

O empresário de 66 anos é acusado de ter abusado de meninas de 14 anos e de operar uma rede de exploração sexual de menores. Ele foi preso pela polícia americana em 8 de julho.

Segundo a acusação, entre 2002 e 2005, ele pagava centenas de dólares em dinheiro para meninas irem até suas casas de luxo, em Nova York e na Flórida, e realizarem atos sexuais, ou para recrutar outras menores com a mesma finalidade.

Fonte: G1

Veja Mais

1 comentário

  • Um cara desse, acostumado ao tipo de crimes que comete, não tem remorso suficiente para suicidar-se (exceto apenas, se cometesse o abuso contra uma criança, apenas uma vez). O mais provável é que tenha sido morto por outros detentos ou, ameaçado à ter uma morte lenta. Nesse caso, duas hipóteses, ou foi “ordenado” à se matar (como opção), para não morrer de forma horrível ou, se matou voluntariamente, para evitar o mesmo desfecho. Nesses casos, a forma do suicídio está muito relacionada com seu histórico de vida, desejando morrer segundo uma intenção específica ou (quando não é possível), com os “recursos locais” que dispõe para fazê-lo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *