Denúncia sobre corpo jogado em ilha mobiliza equipes da segurança pública

Este é o segundo dia de buscas realizadas pelas forças de segurança em uma localidade conhecida como Ilha da Pólvora, no povoado Cadoz, na cidade de Coqueiro Seco, na região Metropolitana de Maceió, onde – segundo denúncia – foi deixado o corpo de jovem supostamente assassinado por uma facção criminosa.

O rapaz teria sido assassinado no conhecido Campo do Botinha, no bairro do Vergel do Lago, por causa do seu suposto envolvimento com ilícitos e os criminosos ainda teriam registrado o assassinato em vídeo. Os policiais do 8º Batalhão disseram que foram comunicados sobre a existência desse material, no entanto, ainda não tivera acesso.

As buscas tiveram início nesta segunda-feira, mas como as polícias Civil e Militar não tinham acesso à embarcações, solicitaram apoio dos mergulhadores do Corpo de Bombeiros. Até o patrulhamento aéreo foi acionado para tentar localizar o corpo na ilha, mas até o momento sem sucesso.

Em resposta à imprensa nesta tarde, a assessoria de comunicação do CB informou que, por hoje, as buscas foram encerradas. “Mesmo tendo sido empregados os meios informados, não foi possível sem localizar o cadáver. As atividades serão retomadas no dia seguinte caso seja verificada a necessidade por parte da Polícia Civil e IML”, diz.

 

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *