Flipontal: literatura e cultura no Pontal da Barra

Abertura da 3ª Flipontal contou com apresentações culturais. Foto: Pei Fon / Secom Maceió

Os grupos fandango e as baianas do Pontal da Barra, além do cantor lírico Agnus Beker e Gil Neves e Banda deram o tom para a cerimônia de abertura da terceira edição da Festa Literária do Pontal da Barra (Flipontal), na noite dessa terça-feira (12), na Praça São Sebastião.

A festa literária está sendo realizada a partir da parceria entre a Prefeitura de Maceió, por meio da Fundação Municipal de Ação Cultural (Fmac), e a Associação Cultural Alagoa do Sul. Segundo o presidente da Fmac, Vinícius Palmeira, as festas literárias são estímulos para a formação cultural, principalmente na infância, e levar estas festas aos bairros é uma estratégia para ficar mais perto das escolas, inserindo a literatura no dia a dia da comunidade em geral.

“Esta é a terceira Flipontal e é um evento que sempre agrega comunidade e escola. Por isso, consideramos a realização das festas literárias uma missão nobre e importante, que temos a alegria de cumprir e trazer tudo isso para perto da população com a maior diversidade possível. Outras programações se agregam e o mundo do livro e da leitura se ampliam para os participantes”, pontuou.

Como tradição nas festas literárias em Maceió, a 3ª Flipontal está homenageando duas grandes personalidades: o escritor baiano Jorge Amado, grande representante da ficção regionalista marcada na segunda fase do Modernismo, e o alagoano Jorge Calheiros, considerado um dos maiores cordelistas do Brasil.

Para Maridalva Campos, secretária-adjunta de Educação do Maceió, educação e cultura é a combinação perfeita. “Estamos trazendo cultura e educação para esta comunidade. São políticas sociais necessárias para a sociedade e a Flipontal traz várias atividades na programação, oportunizando os nossos alunos e a comunidade escolar a experimentarem o que é nosso”, comentou.

Pela primeira vez em Alagoas, uma Festa Literária homenageia um cordelista e recebe o Giro de Folguedos como parte da programação. Para o presidente da Associação Cultural Alagoa do Sul e curador do evento, Carlito Lima, a Flipontal é uma forma de levar literatura e a obra de escritores como Jorge Amado e o cordelista Jorge Calheiros para mais perto da comunidade.

“A proposta é levar para os bairros periféricos estes instrumentos de transformação social, que são a literatura e a cultura. Já fizemos em outros bairros como no Jacintinho, Graciliano Ramos e Fernão Velho, e aqui já estamos na terceira edição. No Brasil, já são mais de 700 festas literárias espalhadas pelo país e Maceió está seguindo esta tendência”, destacou.

Adriana Gomes é moradora do bairro desde criança e presidente da Associação das Artesãs do Pontal. Ela considera o evento importante para o reconhecimento da comunidade. “É através desta Festa Literária que muita gente vai conhecer a nossa cultura, que as crianças vão ter a oportunidade de ter mais acesso à leitura e vão conhecer outros escritores. Com a Flipontal, acredito que mais pessoas vão poder conhecer o nosso artesanato e nós que moramos aqui só temos que agradecer aos parceiros que abraçaram o evento”, disse.

Nesta terceira edição, a Flipontal segue até a próxima quinta-feira (14), com programação diária, sempre a partir das 9h. O evento levará ao público mesas de debates, palestras, oficinas, exposições, feira de livros, desfile de moda, sarau literário, exibição de documentário e apresentações culturais.

 

Fonte: Secom Maceió

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *