Palmeiras defende torcida única contra o Fla, mas Galiotte já foi crítico de medida

Cesar Greco / Agência Palmeiras

A decisão da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) na última sexta-feira de acatar o pedido feito pelo Ministério Público e pela Polícia Militar de São Paulo para que o jogo entre Palmeiras e Flamengo, que será disputado no domingo (1), no Allianz Parque, seja com torcida continua rendendo.

Neste sábado (30), o Superior Tribunal de Justiça Desportiva resolveu não conceder o mandado de garantia ao Flamengo, que havia acionado o órgão para recorrer da decisão se baseando no artigo 86 do Regulamento Geral de Competições da CBF, que determina a venda de 10% dos bilhetes para torcida visitante.

“Nesse cenário, aplicando-se o princípio da reciprocidade, necessário que se determine, em caráter cautelar, que no próximo jogo a ser realizado entre os clubes aqui envolvidos, em competição realizada pela CBF em que o mando de campo seja do C. R. do Flamengo (RJ), não será franqueada à S.E Palmeiras (SP) a possibilidade de aquisição de ingressos para seus torcedores, de modo que a partida se realizará igualmente com torcida única, sem a participação dos torcedores palmeirenses na qualidade de visitantes”, disse o presidente do STJD, Paulo César Salmoão Filho.

Após o Rubro-Negro esgotar suas tentativas e a sua torcida protestar, o Verdão se pronunciou por meio de nota oficial apenas na tarde deste sábado e defendeu a ideia da partida contar apenas com a torcida Alviverde.

“A torcida é parte fundamental do espetáculo e, na visão do Palmeiras, qualquer partida deve ter a participação de todos.

No entanto, a segurança é um bem maior a ser preservado, e a Polícia Militar e o Ministério Público são as autoridades competentes para avaliar as condições de segurança de um evento, até porque são agentes ativos no processo.

O Palmeiras não tem elementos técnicos para avaliar ou julgar as medidas de segurança recomendadas pela Polícia Militar ou Ministério Público e irá respeitar as orientações das autoridades competentes e da CBF.

O Palmeiras lamenta profundamente que ainda tenhamos esse tipo de situação no futebol brasileiro, mas não é agente de segurança pública e não possui ingerência para posicionamento contrário.

De toda forma, o Palmeiras roga para que tenhamos um grande evento esportivo sem maiores intercorrências neste fim de semana, e desde já propõe que autoridades e entidades esportivas, de prática e de administração, se unam para buscar uma solução definitiva e satisfatória para o problema da segurança, que não passe por restringir os direitos de torcedores”.

Fonte: Goal

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *