Roberto Cabrini revela que escapou de fuzilamento durante reportagem

Divulgação / SBT

Roberto Cabrini, responsável por grandes coberturas e reportagens exclusivas em suas passagens por Globo, Record e atualmente SBT, revelou que enfrentou uma situação crítica em 1996, quando produzia para o extinto SBT Repórter.

Por causa de uma reportagem, o jornalista e sua equipe quase foi fuzilada pelo grupo radical Talibã, no Afeganistão. “A gente tinha tinha filmado uma vila sendo dizimada porque os habitantes tinham dado comida para as tropas inimigas do Talibã”, lembrou ele, em entrevista ao jornalista Marcelo Bonfá, no YouTube.

Naquele momento, o famoso pensou que seria executado. “A imagem da vila sendo dizimada era uma imagem de US$ 1 milhão. Na saída da vila, a gente foi interceptado por combatentes talibãs e eles apontaram fuzis Kalashnikov, fazendo toda menção que iriam nos executar”, afirmou.

O contratado do SBT lembrou o que o salvou: “O fato de eu saber algumas palavras, poucas palavras, em pastum, que é o idioma deles, foi o suficiente para eu ganhar uma certa simpatia. Disse que não era um jornalista norte-americano, que era um medo que eles tinham, e consegui convencê-los a me levar ao comando deles, que falasse inglês”.

Com o chefe do grupo, Roberto Cabrini conseguiu chegar a um acordo. “Lá, eu consegui convencer esse comandante que a gente tinha se perdido, o que não era exatamente verdade, mas foi a explicação que eu pude dar naquele momento. A gente acabou sendo alimentado por eles no final do dia”, recordou.

Roberto Cabrini celebra 10 anos de SBT

Vice-líder de audiência – chegando ao primeiro lugar em diversas ocasiões –, Roberto Cabrini falou ao RD1, com exclusividade, sobre seu Conexão Repórter e os 10 anos de SBT, celebrados em março do ano que vem. O jornalista também destacou a chegada da CNN ao Brasil; negou, porém, uma possível transferência para o canal fechado que já tomou profissionais da Globo e da Record.

“Eu renovei meu contrato há três meses. Então eu tô muito feliz, tenho liberdade, não tenho porquê sair do SBT, não tem uma razão para sair do SBT. Tenho muitos amigos na CNN, são grandes profissionais. Vejo de uma forma muito positiva o surgimento da CNN Brasil. Democratiza o país, melhora o mercado de trabalho, é bom para a sociedade, é bom para todo mundo. Mas eu tô muito feliz no SBT”, destacou Cabrini.

O âncora do Conexão Repórter celebrou a primeira década do jornalístico: “Eu me sinto muito orgulhoso porque nós estamos fazendo 10 anos em março. Pude ganhar os mais diversos prêmios… Eu não falo isso com vaidade. Eu falo no sentido de ‘a gente consegue fazer desse programa, um programa que faça a diferença na vida das pessoas’”.

Fonte: RD1

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *