Agentes pedem providências contra surto de tuberculose em unidade socioeducativa

Manifestação aconteceu em frente à sede da UIM, no bairro do Tabuleiro dos Martins

Cortesia

Atualizada às 14h20

Servidores do Sistema Socioeducativo que trabalham na Unidade de Internamento Masculino (UIM) realizaram – na manhã desta terça-feira (14) – um protesto para cobrar do Governo de Alagoas, através Secretaria de Prevenção à Saúde (Seprev), a resolução de um surto de tuberculose iniciado no local na última sexta-feira (10). A categoria afirmou que teme pela saúde dos trabalhadores e dos internos do local.

A manifestação foi realizada em frente à sede da UIM, na Avenida Durval de Góes Monteiro, no bairro do Tabuleiro dos Martins, na parte alta de Maceió.

De acordo com Jardel Oliveira, secretário de Administração e Finanças do Sindicato dos Agentes de Segurança Socioeducativo e Prestadores de Serviços do Sistema Penitenciário do Estado de Alagoas (Sindassepspal), na sexta-feira quatro internos foram examinados com a suspeita de tuberculose. Após a realização de exames, foi constatado que um deles havia contraído a doença.

Nessa segunda-feira (13), um segundo interno também foi diagnosticado do com a doença, deixando servidores e infratores amedrontados com a rápida disseminação da tuberculose no local. Além dos dois casos já confirmados, há ainda mais dois menores em observação com suspeitas do quadro.

“Nós do Sindassepspal recebemos a notificação de um de nossos colegas e, imediatamente, notificamos a diretoria da unidade, a superintendência do sistema socioeducativo e também a Seprev [Secretaria de Prevenção à Violência] para que uma providência seja tomada”, informou Jardel Oliveira.

Antes da manifestação, representantes do sindicato se reuniram com representantes dos órgão competentes para tratar sobre o assunto.

A Seprev, por meio de sua assessoria de comunicação, emitiu nota sobre o caso, descartando a possibilidade de surto de tuberculose no Sistema Socioeducativo. Confira na íntegra:

NOTA

A Secretaria de Estado de Prevenção à Violência (Seprev) vem por meio desta nota descartar qualquer possibilidade de surto de tuberculose no Sistema Socioeducativo. Os dois casos em questão são fatores isolados e estão recebendo as devidas atenções.

A Seprev informa ainda, no final da manhã desta terça-feira (14), foi realizada uma reunião técnica com representantes da Secretaria de Saúde do Estado e do Município, onde foi reforçado, por meio da equipe de Vigilância Epidemiológica, que todos os protocolos e normas foram seguidos pela gestão da Superintendência de Medidas Socioeducativas (Sumese) no atendimento e tratamento dos adolescentes diagnosticados com a doença.

Os protocolos padrões seguidos vão desde a consulta médica, exames e utilização de medicamentos prescritos pelos médicos do Hospital Escola Hélvio Alto, onde os adolescentes receberam atendimento.

Vale lembrar que no último mês de novembro, também em parceria com a Secretaria da Saúde, foram realizados eventos preventivos, onde foram atualizadas todas as vacinas dos adolescentes e dos servidores.

A Seprev aproveita para reiterar o seu compromisso com a saúde de todos os adolescentes em cumprimento de medidas socioeducativas bem como de seus servidores.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *