Operação Cartola: MP da Paraíba arquiva inquérito contra árbitro alagoano

Divulgação

Chicão

O Ministério Público da Paraíba pediu o arquivamento da denúncia que o próprio órgão fez, contra o árbitro alagoano, Francisco Carlos do Nascimento, o Chicão, que teve o nome indevidamente citado na Operação Cartola, desencadeada em 2018 pela Polícia Civil da Paraíba, que investigava esquemas de manipulação de resultados no futebol nacional.

Em novembro do mesmo ano, Chicão já havia sido absolvido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) em um processo que teve mais de 20 envolvidos. No primeiro interrogatório, Chicão foi o único a
comparecer e negou qualquer envolvimento no esquema.

A Associação Nacional dos Árbitros de Futebol (Anaf) divulgou em sua conta no Instagram uma nota comentando a decisão e os prejuízos causados à carreira e reputação do árbitro que ficou mais de um ano afastado dos gramados.  “Chicão ficou mais de um ano afastado dos gramados pagando por algo que muitos lavaram as mãos, antecipando a sua “culpabilidade”. Mas a pergunta que não quer calar, é: quem agora reconstruirá a sua imagem, totalmente arranhada com esse episódio?”, questiona em trecho da publicação.

Lembre o caso: Operação Cartola: Chicão presta depoimento ao STJD, mas julgamento é suspenso

A associação pede ainda que a comissão de árbitros da CBF reintegre Chicão ao quadro nacional de profissionais e o designe para partidas sob sua tutela, bem como a Federação Alagoana de Futebol (FAF).

No último sábado (15) Chicão apitou a partida entre Coruripe e ASA , válida pelo campeonato estadual.

Por fim, a ANAF diz que entende os benefícios da operação, mas destaca o erro cometido. “A ANAF entende que a Operação Cartola prestou um grande serviço ao futebol brasileiro, mas errou ao alienar, sem provas, o nosso associado ao maior escândalo de corrupção no futebol paraibano. Em tempos de acusações baseadas no achismo, uma carreira construída com suor, superação e disciplina, agora terá que ser reinventada”, conclui a nota assinada pelo presidente da associação, Salmo Valentim.

Em entrevista ao Alagoas24Horas o árbitro disse que estava feliz e sabia que isto aconteceria e que aguarda ser designado para novas partidas. “Eu estou muito feliz, sabia que seria esta a decisão final. Só tenho a agradecer a DEUS, a FAF, a ANAF, a todo o povo alagoano que sempre acreditou em mim e em especial a minha família, minha esposa Andréa, meus filhos Caio e Melissa. Eu sempre estive no quadro de árbitros. Fiz todos os testes, físicos e teóricos, e passei em todos durante esse tempo. Agora é aguardar as designações para as partidas”, afirmou.

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *