Quarentena: docentes da Educação Infantil atuam via redes sociais

Eles encaminham aos pais atividades educativas e recreativas para serem desenvolvidas com as crianças.

Professora Isis com seus alunos, antes da quarentena; agora, ela envia vídeos para manter vínculo. Foto: Arquivo Semed00

Com intuito de promover a saúde emocional dos alunos da educação infantil e a interação entre pais e filhos durante a quarentena, a Coordenadoria de Educação Infantil da Secretária Municipal de Educação (Semed) está usando as redes sociais para interagir e encaminhar atividades educativas e recreativas aos pais de alunos e responsáveis. A ação é desenvolvida desde o dia 26 de março e leva aos pais orientação sobre a construção de brinquedos com materiais recicláveis, brincadeiras para fazer dentro de casa com as crianças, recomendação de sites com conteúdos audiovisuais e audiolivros infantis, além de informações sobre como se prevenir contra o coronavírus.

Segundo Angelina Araújo, Coordenadora da Educação Infantil, essa é uma forma de estimular a família a participar do cotidiano de aprendizado dos filhos durante o período de isolamento social.  “Por meio dos nossos técnicos, estamos orientando os gestores e coordenadores a manter um vínculo afetivo com as crianças da educação infantil, no sentindo de manter atividades lúdicas e brincantes no universo familiar deles. E assim continuamos com esse vínculo entre escola, família, criança e comunidade”, afirmou a coordenadora.

De acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), interações e brincadeiras são eixos estruturantes das atividades pedagógicas da educação e a iniciativa da Semed se apoia nesse documento. As atividades sugeridas aos pais e responsáveis por meio das redes sociais objetivam ajudar no desenvolvimento afetivo, psicológico e social das crianças, mas não substituem as atividades pedagógicas que continuam suspensas.

No entanto, muitos professores têm se dedicado a colocar a ideia em prática, como é o caso de Isis Correia, do Cmei Leda Collor de Mello. A docente gravou vários vídeos ensinando brincadeiras para fazer em casa. “Essa foi uma maneira de não nos distanciar dos laços afetivos que foram construídos ao longo das aulas até o dia que fomos obrigados a entrar em quarentena”, disse.

Fonte: Secom/Maceió

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *