Alagoanos ignoram pandemia do coronavírus e lotam mercados e feiras

Cada vez mais pessoas estão retornando às atividades e rotinas, contrariando o decreto de emergência do Governo de Alagoas que prevê o isolamento social e outras medidas preventivas contra o avanço do novo Coronavírus no Estado.

Imagens compartilhadas nas redes sociais mostram como os cidadãos alagoanos estão ignorando a pandemia e se espremendo em mercados públicos e agências bancárias, por exemplo. Neste vídeo, registrado nesta quarta-feira, 8, por um morador da cidade de Palmeira dos Índios, é possível ver o movimento intenso na feira do peixe. Parecia um dia comum, com consumidores na correria das compras para o feriado da Paixão de Cristo.

Em nota ao Alagoas 24 Horas, a Prefeitura de Palmeira dos Índios informou que vem realizando, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, um trabalho “incansável” de combate a disseminação da Covid-19. Mas admite que a situação não está fácil.

“Temos duas equipes de vigilância sanitária e de saúde nas ruas, visitando todas as comunidades. Colocamos quatro carros de som na cidade e na zona rural para fazer um trabalho de conscientização da população, pedindo para não sair de casa, de evitar as filas de bancos e casas lotéricas.

Pedimos para usar o cartão de débitos. Suspendemos a entrega de peixes da semana santa; estamos entregando cestas básicas nas casas das famílias pré-cadastrados na Secretaria de assistência. As equipes não param. Criamos um disque coronavírus, um número de telefone para denúncias; As equipes de vigilância vão aos locais, como nas barracas de peixe, mas o trabalho não é fácil.

A população parece que ainda não tomou, ou não quer tomar consciência da gravidade do problema, que a pandemia está matando milhares de pessoas no mundo inteiro. Pedimos para os idosos ficarem em casa. Vamos distribuir kits alimentares com produtos da merenda escolar, como frango, carne entre outros itens da alimentação escolar, para as famílias dos alunos matriculados nas escolas municipais que vivem em situação de vulnerabilidades social”, diz a nota.

A situação não foi diferente no Mercado da Produção, em Maceió. Hoje pela manhã o movimento foi intenso e algumas medidas serão tomadas a partir de amanhã para reduzir as aglomerações no local. O diretor de abastecimento do mercado, Jerson Santos, informou que os setores de maior fluxo serão isolados, a exemplo da área de pescados e carnes. O ordenamento desses espaços será realizado com o apoio das forças de segurança.

 

Veja Mais

3 Comentários

  • ROBERTO BRANDÃO says:

    DA MANEIRA COMO O POVO DE ALAGOAS ENCARA AS MEDIDAS SANITARIAS (QUARENTENA) TEREMOS UM GRANDE NUMERO DE INFECTADOS E MORTES.
    IGNORÂNCIA E ARROGÂNCIA TEM LIMITES. ESTÃO PEDINDO PARA MORRER.

    • Amanda says:

      Parabéns pelo comentário tão sensato. O pior é que esse montão de cabeças duras só vão se dar conta quando for ao SUS caótico que temos, precisando de UTI que já está lotada. Infelizmente vai morrer muita gente.

    • Tanya says:

      Parabéns Roberto pelo excelente comentário. Alguns alagoanos esquecem que não tem UTI suficiente pra todos, e que o SUS não tem suporte para atender esse monte de cabeças duras se adoecerem. O pior é que pessoas idosas podem pagar a conta se viverem com esses inconsequentes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *