Covid: mãe tem gêmeos sedada na UTI e, ao acordar, não lembra nem que estava grávida

Covid: mãe tem gêmeos sedada na UTI e, ao acordar, não lembra nem que estava grávida

A espanhola Mili América Antelo, 40 anos, estava grávida de gêmeos quando passou a sentir os primeiros sintomas do coronavírus. Ela foi internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Vall d’Hebron, em Barcelona, com pneumonia grave, no dia 27 de março. Mili foi sedada e intubada. Dois dias depois, com insuficiência respiratória grave, ela passou por uma cesariana de emergência para que suas gêmeas pudessem nascer. No entanto, quando acordou, 21 dias depois, algo inesperado aconteceu. Ela disse que não se lembrava da gravidez. A história surpreendente foi contada por Felix Castillo, chefe do Serviço Neonatal, em sua conta no Twitter.

Quando nasceram, os gêmeos pesavam apenas um quilo cada. Ayma e Ayla nasceram com 28 semanas de gestação. No entanto, quando a mãe acordou, não se lembrava da existência das duas, muito menos que elas estavam na UTI neonatal. Segundo ele, quando abriu os olhos, ela nem sabia onde estava. Confusa, ela apenas perguntou por que seu marido não estava com ela.

Felizmente, a história teve um final feliz. A mãe já está recuperada do vírus e, depois de trinta dias após o parto, pode, finalmente, conhecer as filhas “surpresas”. O médico contou a história e, junto, publicou uma foto que mostra Mili fazendo o método canguru com suas filhas pela primeira vez na UTI neonatal. A mãe teve que esperar até seus testes darem negativo para o coronovírus para poder fazer “pele com pele” com as pequenas.

Em entrevista ao El País, o médico explicou que a desorientação e perda da memória recente é frequente após ser sedado por 21 dias com drogas muito poderosas. “Entre 25% e 30% dos pacientes experimentam isso e melhoram dentro de alguns dias. O mais impressionante é a amnésia antes da admissão. Uma pequena lesão foi encontrada na ressonância magnética classificada como possível acidente vascular cerebral, mas não está claro para mim que isso possa interferir na memória”, explicou. As gêmeas tiveram resultados negativos para o Covid. Mili já recebeu alta, mas terá que esperar mais cinco semanas para levar suas filhas para casa.

Fonte: Crescer/G1

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *