Ex-atacante brasileiro revela convite para defender a seleção argentina e motivo que o fez negar: “É suicídio”

Divulgação / Real Zaragoza

A rivalidade entre Brasil e Argentina talvez seja a maior envolvendo duas seleções no futebol. Mas já pensou um argentino se naturalizar brasileiro e vice versa? Pois é, no caso do atacante Ewerthon, que no Brasil defendeu as cores de Corinthians, Palmeiras e Atlético-MG, a seleção hermana esteve próxima.

Em entrevista ao Expediente Futebol nesta terça-feira (19 de maio), o ex-atacante revelou ter recebido o convite para defender a Argentina pelo técnico José Pekerman. Na época, o brasileiro vivia boa fase no Zaragoza, que era recheado de argentinos. O treinador da seleção hermana, após uma partida do clube espanhol, fez o convite e o brasileiro revelou o motivo que o fez negar.

“Na Espanha, fui muito feliz no Zaragoza. Joguei com Sávio, Álvaro, Diego Milito, Gabriel Milito, Aimar, D’Alessandro, Ayala, tínhamos um time muito bom e conseguimos fazer grandes temporadas. Eliminamos o Atlético (de Madrid), o Barcelona do Ronaldinho Gaúcho, Real Madrid galáctico também. Tive a felicidade de, depois do jogo, o (José) Pékerman (técnico da seleção argentina) veio conversar comigo. Se eu não tivesse jogado na Seleção Brasileira, ele queria que eu me naturalizasse argentino porque gostava da maneira que eu jogava. São frutos e ganhos que temos na carreira”, começou por afirmar.

“Ele (Pékerman) comentou comigo depois do jogo, fez grandes elogios, e fez esse convite, mas eu falei assim: olha, um argentino jogar no Brasil, nunca vai ter problema. Agora, um jogador brasileiro jogar na seleção argentina, e ainda mais negrão como eu, é suicídio. Não dá não (risos)”, finalizou.

Fonte: FOX Sports

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *