Tribunal de Justiça reabre seguindo regras do protocolo sanitário

'Todas as cautelas estão sendo tomadas. Temos o compromisso de não nos infectarmos, nem infectarmos as outras pessoas', afirmou Tutmés Airan

O Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) reabriu para 30% dos servidores e para atendimento ao público externo, nesta segunda-feira (14), início da fase amarela de retomada das atividades. Quem chegava tinha a temperatura aferida por integrantes da Guarda Judiciária. Avisos de distanciamento foram colocados em diferentes pontos, assim como recipientes contendo álcool em gel.

“É importante esse retorno, mesmo que seja aos poucos. Todos os cuidados são necessários para que a gente trabalhe tranquilo”, disse o servidor José Cícero do Nascimento.

A servidora Sandra Abreu também retornou às atividades presenciais nesta segunda, na recepção da Presidência do TJAL. “Estamos preparados para retornar com segurança”, reforçou.

A secretária da 1ª Câmara Cível do Tribunal, Margarida Melo, explicou que o setor vai seguir o limite de 30% estabelecido pela Presidência e pela Corregedoria. “Fizemos escala de revezamento e isso representa dois servidores por dia, o que faz com que tenhamos a possibilidade do distanciamento e, com isso, maior proteção”.

De acordo com o presidente do TJAL, Tutmés Airan, todas as cautelas estão sendo tomadas para o retorno seguro das atividades presenciais. “Temos o compromisso de não nos infectarmos, nem infectarmos as outras pessoas”.

O desembargador relembrou que, na fase amarela, todas as unidades do Judiciário, tanto da capital quanto do interior, funcionarão 5 horas por dia. O Fórum de Maceió estará aberto das 13h às 18h (de segunda a quinta) e das 8h às 13h (às sextas-feiras). Já a sede do Tribunal de Justiça, Corregedoria, Juizados Especiais e demais fóruns abrirão das 8h às 13h, nos dias úteis.

“Hoje retornamos com atendimento ao público, mas não é qualquer atendimento. É necessário que ele seja pré-agendado. A pessoa liga para a Vara, os telefones estão todos no site do Tribunal, agenda e, aí sim, será atendido”, destacou Tutmés Airan, ressaltando que audiências presenciais poderão ser realizadas. “A preferência, no entanto, é que elas continuem a ser feitas virtualmente”.

Tutmés Airan afirmou que todas as cautelas estão sendo adotadas, para proteção dos magistrados, servidores e jurisdicionados. Foto: Caio Loureiro

Tutmés Airan defende que, mesmo depois do fim da pandemia, as atividades no Judiciário sejam feitas, na maior parte, de maneira remota. “Se depender de mim vai funcionar na base de 30% presencial e 70% no teletrabalho. Somando economia e produtividade, o resultado tem sido muito bom”, avaliou.

Fonte: TJAL

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *