Avaliação cardiopulmonar é essencial para retomar ou iniciar atividades físicas

Cardiologista alerta sobre a importância do teste para saber como coração e pulmão estão funcionando e evitar a morte súbita

Cardiologista Marcelo Malta ressalta os benefícios da avaliação pré-esportiva

Com a flexibilização dos decretos após a queda no número de casos de covid-19, muita gente pode retomar as atividades físicas ao ar livre e/ou em academias. Até quem nunca se viu correndo na orla aderiu a prática esportiva. Mas você sabe o que é preciso para colocar o corpo em movimento de forma segura?

O cardiologista Marcelo Malta, da Santa Casa de Maceió, alerta sobre a necessidade de realizar o teste cardiopulmonar. A dica vale para os atletas regulares ou os de final de semana para evitar problemas de saúde e até a morte súbita. É que durante uma atividade física, os músculos estão em movimento e quanto mais as fibras musculares se esforçam para realizar uma tarefa, mais elas consomem o oxigênio trazido pela corrente sanguínea. Isso acelera o coração e obriga os pulmões a trabalhar em ritmo acelerado, já que são eles os responsáveis pela oxigenação. A avaliação é imprescindível para identificar problemas e pode evitar a morte súbita do paciente.

“O teste cardiopulmonar ou ergoespirométrico é a associação de um teste ergométrico convencional com a análise do ar espirado pelo paciente. Ele serve para fornecer medidas diretas de parâmetros respiratórios como capacidade de consumo máximo de oxigênio pelos pulmões (VO2- considerado padrão-ouro para avaliação da capacidade funcional), produção de gás carbônico, frequência respiratória e ventilação pulmonar (volume de ar corrente x frequência respiratória = VAC x FR). O teste vai dizer como o coração e pulmão se comportam durante o exercício e se é, ou até quando é, seguro continuar a atividade física”, explicou o cardiologista.

Fique atento a estas dicas:

Quando a avaliação cardiopulmonar é recomendada?

Ela é ideal para programar treinamento de atletas e fazer o diagnóstico diferencial da dispneia (falta de ar). O teste faz a avaliação funcional de doenças cardíacas e pulmonares, e seriada no pré e no pós-transplante cardíaco, além de quantificar o risco de pacientes com miocardiopatias (doença do músculo cardíaco). Usamos também para programar a reabilitação em pacientes com doença cardíaca ou com insuficiência cardíaca. A avaliação cardiopulmonar é contraindicada para gestantes, pessoas com peso corporal acima de 160 quilos e quando o paciente está com alguma infecção (ex: gripe, febre).

Quais as informações ou queixas que podem ser um sinal de alerta para possíveis problemas cardíacos?

Dor no peito, cansaço fácil aos esforços pequenos, mudança no padrão da intensidade do cansaço aos esforços (cansa mais fácil com atividade física que antes suportava com facilidade), palpitação ao esforço físico, dor no peito ou cansaço acompanhado de palidez, suor frio, desmaios ao esforço físico, história de doença cardíaca ou morte súbita na família.

O que pode adiar ou até impedir a prática de esportes?

A presença de doenças cardiovasculares que podem surgir ou piorar com a prática de atividades físicas. A avaliação pré-participação esportiva tem justamente o objetivo de prevenir o desenvolvimento dessas doenças do aparelho cardiovascular (DCV) e da morte súbita por meio da proibição temporária ou definitiva da realização de atividades físicas ou do tratamento de condições que possam ser potencialmente fatais e desencadeadas pelo exercício físico.

Esportistas e atletas profissionais devem ser submetidos aos mesmos exames?

Não. De acordo com o objetivo e intensidade do exercício prescrito, o médico irá definir os exames a serem solicitados.

De quanto em quanto tempo a avaliação cardiopulmonar deve ser feita?

Quando indicado, recomenda-se reavaliação anual dos parâmetros atingidos, porém, profissionais da saúde (médicos, educadores físicos, fisioterapeutas) podem solicitar aumento da periodicidade com objetivo de avaliar comparativamente os resultados alcançados para programar ou modificar a prescrição da atividade física.

O que não deve ser ignorado durante as atividades físicas?

O uso indiscriminado de “estimulantes” podem favorecer o desenvolvimento de doenças cardíacas e aumentar o risco de morte súbita. A atividade física é como remédio, tem que ser prescrita por profissionais da saúde, na dose certa, respeitando as indicações e limitações de cada um. Se realizada na “dose errada” e para pessoa errada, pode trazer mais malefícios do que benefícios. A avaliação cardiológica pré-esportiva está indicada para todas as pessoas que desejam iniciar atividade física com segurança e obrigatória para esportistas profissionais ou que não sejam profissionais, porém, que realizem atividade física de alta intensidade.

Fonte: Ascom Santa Casa

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *