Mulher tem as pernas queimadas pelo companheiro enquanto dormia

Vítimas foram atacas a facadas e chutes no agreste do Estado

Imagem meramente ilustrativa

As mulheres seguem sendo vítimas de violência em Alagoas. Nas últimas 24 horas, a Polícia Militar registrou um homicídio, além de quatro casos de agressão contra mulheres na capital alagoana e em cidades do agreste.

Em Arapiraca, uma jovem de apenas 25 anos foi executada com cinco tiros na cabeça após ter a residência arrombada. O caso já foi relatado pelo Alagoas 24 horas. Em Maceió, mais uma tragédia. Uma mulher de 37 anos teve os membros inferiores queimados pelo próprio companheiro enquanto dormia.

O caso aconteceu nas imediações da Praça do Conjunto José Tenório, no bairro da Serraria. Segundo a vítima, o companheiro teria jogado álcool e ateado fogo às suas pernas, provocando queimaduras de 2º e 3º graus.  O agressor, de 36 anos, foi preso e encaminhado à Central de Flagrantes. Já a vítima foi levada para a UPA do Jacintinho.

Em Rio Largo, região metropolitana da capital, uma mulher foi agredida com um golpe de faca nas pernas. O autor do crime seria o ex-companheiro da vítima, que fugiu do local após o crime. A mulher foi encaminhada ao Hospital Ib Gatto, onde recebeu atendimento hospitalar.

Em Taquarana, uma mulher de 38 anos foi socorrida com lesões por arma branca. Os golpes foram desferidos pelo seu companheiro de 41 anos. Segundo a mulher, o marido ainda possuía uma arma na residência, que não foi localizada. A vítima foi encaminhada para o Hospital de Emergência do Agreste para receber atendimento hospitalar e o foi preso e denunciado por lesão corporal dolosa.

Em Arapiraca, no bairro Itapoã, uma jovem de 23 anos foi agredida a golpes de chutes e tapas pelo ex-companheiro, de 29 anos. A agressão ocorreu em frente à residência da mãe do agressor, que foi detido em flagrante e encaminhado à Central de Polícia, onde foi denunciado por ameaça.

 

Veja Mais

1 comentário

  • Moradora says:

    Esses elementos tem que serem presos e levados para o presidio e enquadrado na Lei Maria da Penha,para aprenderem respeitar essas mulheres,não deixem barato não peçam justiça e coloquem esses desordeiros,marginais covardes na cadeia que é o lugar de bandido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *