Bilionário alvo de investigação da PF protocola desistência de candidatura

Pedido foi protocolado na manhã deste domingo (25) no TRE-PR, e desistência foi confirmada pela assessoria da campanha do empresário.

João Carlos Ribeiro (PSC) anunciou desistência de candidatura à Prefeitura de Pontal do Paraná — Foto: Reprodução/RPC

A defesa do empresário João Carlos Ribeiro (PSC) protocolou no Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR), na manhã deste domingo (25), o pedido de desistência da candidatura dele à Prefeitura de Pontal do Paraná, no litoral do estado.

A desistência também foi confirmada pela assessoria de imprensa da campanha de João Carlos Ribeiro e anunciada nas redes sociais da chapa.

O anúncio foi confirmado após idas e vindas sobre a desistência do empresário. Na sexta-feira (23), a assessoria de imprensa da obra do Porto Pontal, que Ribeiro é dono, havia comunicado que o empresário estava desistindo da candidatura.

No sábado (24), Ribeiro publicou um vídeo nas redes sociais afirmando que não desistiria de sair candidato e que as informações da desistência eram falsas.

A procuração de Ribeiro aos advogados pedindo a renúncia, que também foi juntada no processo do TRE, no entanto, foi assinada ainda na quarta-feira (21).

Na nota publicada neste domingo, o candidato afirma que as razões da desistência são “de caráter absolutamente pessoal, com forte abalo emocional”.

A coligação que Ribeiro fazia parte informou que os partidos devem se reunir na tarde deste domingo (25) para decidir os rumos da campanha.

Investigações
O empresário é investigado pela Polícia Federal (PF), suspeito de pagar propina de mais de R$ 1 milhão para obter uma licença ambiental para a instalação de um porto em Pontal do Paraná.

A Polícia Federal apontou suposta ingerência política do senador Fernando Collor de Melo junto ao Ibama para atender interesses de Ribeiro na instalação do porto. A obra está suspensa pela Justiça.

Na quarta-feira (21), com a deflagração da operação Quinto Alto, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF) determinou o bloqueio e sequestro de R$ 1,1 milhão das contas de Collor e dos demais envolvidos nas irregularidades apuradas.

João Carlos Ribeiro nega as acusações.

O senador Fernando Collor (PROS-AL) informou não ter nada a temer e disse que está com a consciência tranquila.

Bilionário
Um levantamento feito pelo G1 com base em dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontou que Ribeiro era único candidato a prefeito no Brasil com mais de R$ 1 bilhão em bens declarados.

De acordo com os dados, ele declarou R$ 1,5 bilhão em bens. Entre eles, estão ações de diversos segmentos (Carrefour, Vale do Rio Doce, Multiplan, Lojas Americanas, Sabesp, Gerdau, Cemig, Petrobras), contas em vários bancos e diversos fundos de investimento.

Erro de preenchimento faz candidatos virarem ‘bilionários’; apenas um tem mais de R$ 1 bilhão nesta eleição
À Justiça, o empresário declarou ainda ter R$ 4,2 milhões em obras de arte e um Land Rover de R$ 399 mil. Há outros veículos (entre eles um BMW ano 1969), uma embarcação, imóveis e empresas (inclusive no exterior) e terrenos também. São, ao todo, 48 itens listados.

Sobre o levantamento, a assessoria do candidato confirmou que a declaração dele está perfeita e que os bens, assim como os respectivos valores, foram listados de forma correta.

Fonte: G1

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *