Candidata do PT no Pará é assassinada; ex-marido é suspeito

Leila Arruda tinha 49 anos e foi fundadora e militante do Moema (Movimento de Mulheres Empreendedoras da Amazônia)

Leila Arruda, candidata do PT à Prefeitura de Curralinho, no arquipélago de Marajó (PA), foi assassinada a facadas e pauladas nessa 5ª feira (19) em um conjunto residencial no bairro do Tenoné, na grande Belém. O ex-marido dela é suspeito de ter sido o autor do crime.

Leila tinha 49 anos e foi fundadora e militante do Moema (Movimento de Mulheres Empreendedoras da Amazônia). Filiou-se ao PT em Curralinho aos 20 anos e era formada em pedagogia.

Ela disputou as eleições no último domingo (15.nov.2020). Ficou em 3º lugar, recebendo 3.022 votos. Cleber Edson dos Santos Rodrigues (PSD), de 67 anos, foi eleito no município.

O irmão de Leila, o ex-prefeito de Curralinho Léo Arruda, foi quem encontrou o corpo da irmã dentro da casa onde ela morava.

O corpo da petista foi encaminhado ao IML (Instituto Médico Legal). Segundo o instituto, ela foi vítima de 9 facadas.

Segundo familiares de Leila, ouvidos pelo Uol, ela foi vítima de feminicídio e assassinada na porta de casa. Ainda de acordo com a família, Leila estava separada de seu ex-marido há 3 anos e sofria com perseguições.

A Polícia Civil realizou buscas na noite dessa 5ª feira e prendeu 1 suspeito em endereço próximo ao bairro de Tenoné.

O Uol informou que o suspeito se tratava do ex-marido de Leila, que foi levado à delegacia para prestar depoimento acompanhado de 1 dos filhos do casal, que diz não saber o que ocorreu.

Em nota, o Diretório do PT no Pará lamentou a morte da filiada e manifestou indignação em relação ao caso.

“O PT Pará ressalta sua indignação por este crime brutal que tirou a vida de mais uma mulher no estado e reitera que é inadmissível que as mulheres sejam reféns da violência provocada pelo machismo enraizado na sociedade”.

Eis a íntegra da nota do Diretório do PT no Pará:

“O Partido dos Trabalhadores do Pará lamenta profundamente a morte da companheira Leila Maria Santos de Arruda, militante e, recentemente, candidata a prefeita no município de Curralinho, na Ilha do Marajó. Leila foi vítima de feminicídio nesta quinta-feira (19), em Belém, ao ser assassinada pelo ex-marido.

Leila Arruda tinha 49 anos e foi fundadora e militante do movimento de mulheres empreendedoras da Amazônia (MOEMA). Filiou-se ao partido dos trabalhadores em Curralinho aos 20 anos e era formada em pedagogia.

O PT Pará ressalta sua indignação por este crime brutal que tirou a vida de mais uma mulher no estado e reitera que é inadmissível que as mulheres sejam reféns da violência provocada pelo machismo enraizado na sociedade.

O feminicídio é uma chaga que tem dizimado milhares de mulheres e destruído famílias, consequência da posição de discriminação estrutural e da desigualdade de poder, que inferioriza e subordina as mulheres aos homens. Até quando vamos ter que conviver com todo tipo de violência contra a mulher?! Até quando o machismo vai continuar matando?

Pedimos justiça para Leila e todas as outras mulheres assassinadas diariamente no Brasil. Que sua morte não seja esquecida e que mais medidas sejam tomadas para acabar com essa violência.

A morte de Leila Arruda é uma grande perda para o município de Curralinho, para o PT e para todas e todos que lutam por uma sociedade mais justa e fraterna.

Neste momento de profunda dor e luto, expressamos nossa gratidão e prestamos nossas homenagens à companheiro Leila e à sua memória, assim como estendemos nossa solidariedade aos familiares, amigos e companheiros de partido que, como todos nós, estão sofrendo a dor e a revolta dessa perda.

Leila, presente!”

Fonte: Poder 360

Veja Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *